Há 47 anos Apae de Barra Mansa realiza serviços para deficientes intelectuais

0

BARRA MANSA

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), atualmente atende cerca de 212 assistidos no município, sobrevivendo através do apoio do Poder Público, União, arrecadações e doações. A associação têm assistidos de três meses a 53 anos, e oferece serviços especializados de acordo com as necessidades de deficiência de cada um. Os serviços variam de atendimentos técnicos, pedagógicos e familiares, em horário parcial e integral aos maiores de 16 anos.

Para que a instituição consiga manter toda essa estrutura organizada e com um atendimento de qualidade, uma grande quantia em torno de R$ 50 mil por mês é necessária. Segundo um dos diretores, Gabriel Resende, o maior gasto da Apae é com a mão de obra e energia elétrica “Gastamos em torno de R$ 43 mil apenas para manter os funcionários, e nós nos preocupamos em ter gente de qualidade, pois para trabalhar com pessoas que têm deficiência intelectual, é necessário especialização e cuidado”, conta, completando que ainda existe um grande custo com gastos de energia elétrica e telefone. A Apae-BM tem ao todo 108 funcionários, sendo que 45 são da prefeitura.

De acordo com o vice-presidente da Apae, Luiz Alberto Lopes Feijó, mesmo recebendo alguns recursos do governo, a Apae-BM ainda precisa arrecadar fundos para conseguir se manter. Para isso é realizado semanalmente, às quintas-feiras, um almoço solidário em sua sede. O valor é R$ 3,50 a cada 100 gramas. Os eventos realizados durante o ano, também garantem verbas para o custeio da instituição. “O almoço conta com o apoio das mães de assistidos, e, já é uma tradição na instituição que tem como objetivo, além de juntar verba, trazer a sociedade para conhecer nossa instituição” disse, completando que tem muita gente que conhece a Apae por causa do almoço.

Ainda segundo Luiz Alberto, houve um período em que a instituição contava com uma participação maior da população. “Antigamente as pessoas participavam mais e doavam mais para a Apae, hoje em dia esse número caiu bastante. “Se cada um deixasse de tomar apenas uma cerveja por semana e doasse esse dinheiro para a associação, seria de uma ajuda imensurável, e para nós isso seria de uma ajuda enorme”, afirma.

A Apae conta também com serviço de telemarketing, que liga para a casa de algumas pessoas para confirmar as doações. Empresas e comércios também disponibilizam um pouco do tempo e carinho para doar para a instituição. Juntando toda arrecadação, a associação recebe uma renda variada de 12 a 20 mil reais mensalmente, entre doadores fixos, eventuais e empresas. Segundo o diretor Gabriel Resende, os doadores fixos, são os que doam todo mês, os eventuais, são os que doam de vez em quando, e os mensais sãos os que não realizam a fidelização, e confirmam todo mês se irão doar ou não.

 “Se cada um deixasse de tomar apenas uma cerveja por semana e doasse esse dinheiro para a associação, seria de uma ajuda imensurável, e para nós isso seria de uma ajuda enorme” – vice-presidente da Apae, Luiz Alberto Lopes Feijó

DOADORES DA APAE

TIPO DE DOADORES QUANTIDADE

Fidelizado   584

Mensal       97

Eventual     99

Empresa     72

FORMAS DE CONTRIBUIR

Para ser um amigo da Apae e realizar doações, existem duas opções: ser um doador fidelizado ou mensal. Os fidelizados são doadores fixos durante um período de seis a 12 meses. Já os mensais confirmam se poderão doar ou não em cada mês. Quem quer ser voluntário precisa procurar a direção pedagógica na instituição e conversar para saber quais serviços podem ser prestados.

As doações podem ser realizadas pela conta bancária do Banco Unicred; Agência 4521; CC 2615-8; CNPJ 30.653.455/0001-77. Para mais informações, basta entrar em contato pelo número (24) 3323-0342

SERVIÇOS OFERECIDOS

São 47 anos de atendimento especializado oferecido gratuitamente às pessoas com deficiência intelectual, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, síndromes neurológicas e genéticas. Os serviços oferecidos estão organizados em: Programas Pedagógicos Específicos: Estimulação Precoce; Sala de Apoio à Inclusão Educacional e Escolar; Salas Temáticas; Oficinas Pedagógicas e Ocupacionais; Serviços de Preparação/ Inserção ao Mercado de Trabalho; Autodefensoria; Capacitação e Consultoria as escolas e empresas; Atividades como: Informática, Educação Física, Capoeira, Música, Expressão Corporal; Arte, Atividade Aquática, GRD e Dança.

Além de atendimentos de fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional psicologia e serviço social. Quando a criança entra na Apae, ela realiza uma triagem para que seja analisada e definido os atendimentos e atividades necessárias

Para ser assistida pela instituição, a pessoa precisa tem que ter deficiência intelectual. A associação atende também crianças com atraso no desenvolvimento, quando as crianças precisam passar pela estimulação precoce.

HISTÓRIA DA APAE

Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Barra Mansa foi fundada em 22 de maio de 1971. Sua criação originou-se do movimento de pais e amigos das pessoas com deficiência. Em abril de 1982 foi cedido o terreno para a associação e em agosto do mesmo ano as obras começaram. Em 1988, foi firmado um convênio com a Prefeitura Municipal de Barra Mansa, para cessão de professores e funcionários, passando então a atender os alunos com deficiência. Hoje a Apae tem 47 anos

Tem como missão promover ações de defesa, direitos, prevenção e orientação de prestação de serviços e de apoio à família, direcionada a melhoria da qualidade de vida da pessoa com deficiência. O principal objetivo é promover a atenção integral à pessoa com deficiência intelectual e múltipla.  Para mais informações acesse o site Apae-BM www.barramansa.apaerj.org.br

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !