Funcionários da Viação Sul Fluminense retornam à Câmara de Vereadores de Volta Redonda

0

Funcionários da empresa de ônibus Sul Fluminense retornaram, na noite desta terça-feira, 14, à Câmara de Vereadores de Volta Redonda. Foi o segundo dia consecutivo que os trabalhadores lotaram o plenário do Legislativo em busca de uma garantia dos postos de trabalho. É que, com o decreto assinado na última sexta-feira, 10, pelo prefeito, a empresa, que há anos é responsável por 31 linhas do transporte coletivo de Volta Redonda, deve perder o lugar para outras três empresas.

Na sessão com a presença dos rodoviários, os 21 vereadores assinaram e aprovaram um requerimento solicitando ao prefeito a manutenção da empresa nas linhas e os empregos dos funcionários pelo período de 90 dias, até que as falhas que apontadas pela população, que depende do transporte público sejam corrigidas.

DEZ PRIMEIRAS LINHAS

Conforme o decreto, a Sul Fluminense perderia nesta terça-feira, dia 14, às dez primeiras linhas, mas devido à reunião da manhã de hoje entre o prefeito, vereadores e representantes do Sindicato dos Rodoviários, a decisão foi suspensa. Enquanto isso, a empresa aguarda a decisão da Justiça em relação a uma liminar para derrubar o decreto do prefeito.

Pela manhã, o prefeito Samuca Silva recebeu os vereadores coordenados pelo presidente do Legislativo e o presidente e vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários de Volta Redonda, José Gama, o Zequinha, e José Rogério, respectivamente. A reunião teve como objetivo discutir a situação dos funcionários que temem perder o emprego. Na reunião ficou definido que a Sul Fluminense vai continuar responsável pelas 31 linhas, que há anos é de sua responsabilidade.

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO

O vereador Carlinhos Santana (SD) lembrou que protocolou um Projeto de Decreto Legislativo que pede a revogação do decreto do prefeito Samuca Silva, que cancela a concessão das linhas da empresa Sul Fluminense. Segundo o vereador, não é questão de proteger a empresa e sim os empregos. “O que estou preocupado é com os empregados, quem vai garantir um novo emprego para estes pais e mães de família, quem é que vai garantir a comida na mesa do trabalhador, quem vai garantir os direitos trabalhistas dos trabalhadores. O prefeito tem que encontra uma forma de resguardar o direito do empregado, tem que se achar um meio-termo para que o trabalhador não seja prejudicado”, destacou o parlamentar. Segundo o vereador, a cidade não tem que tolerar ônibus velho e sucateado, mas é preciso ver o lado do trabalhador.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !