Família registra desaparecimento de rapaz em Volta Redonda e Santa Rita de Jacutinga

0

VOLTA REDONDA

Sem notícias do paradeiro do cabeleireiro Fernando Diego Maradona Coelho, de 30 anos, desde o último sábado, 4, familiares decidem registrar o desaparecimento na 93ª Delegacia de Polícia (DP), de Volta Redonda, e na Polícia Militar de Santa Rita de Jacutinga (MG). Segundo informações da família do cabeleireiro, que é da Cidade do Aço, ele foi visto pela última vez andando pela BR-267, próximo ao Rancho Mineiro, em Bom Jardim de Minas.

A esposa de Fernando, Isabel Cristina Pereira Lopes Coelho, de 35 anos, ele está com quadro de depressão e fazendo uso de medicamentos. “Ele está e tratamento e não pode ficar sem medicamento. Por isso estamos todos desesperados. O mais desesperador é que já espalhamos a foto dele por todas as redes sociais e nas duas cidades onde ele é muito conhecido, Volta Redonda de onde ele e sua família são e de Santa Rita de Jacutinga, onde moramos atualmente e ninguém viu”, lamentou Isabel, lembrando que qualquer informação sobre seu paradeiro pode ser passada pelos telefones (32) 3291-1747 e (32) 98409-5625.

FERNANDO É CONHECIDO EM VR E EM SANTA RITA

Isabel contou que o esposo nunca havia saído de casa sem avisar onde ia e muito menos passado tanto tempo sem dar notícias. Disse que por ser de Volta Redonda, ser professor de curso de cabeleireiro e por ter atuado como pastor em várias igrejas, é bastante conhecido na cidade, mas mesmo assim não foi visto por ninguém. “Peço, por favor ajudem-nos a encontrar o Fernando. Temos três filhas menores que também estão sentindo a sua falta. É muito triste não ter deia de onde uma pessoa em tratamento de depressão esteja. Por isso peço a ajuda de todos”, apelou a mulher, ressaltando que a família foi informada que Fernando foi visto em Bom Jardim de Minas pedindo um táxi para levá-lo à Volta Redonda, mas que não conseguiu. Lembrou ainda que com a cidade só tem uma linha de ônibus, já buscou informações e ficou constatado que ele não usou o meio de transporte para sair de Santa Rita.

Segundo Isabel, não tem como saber se ele seguiu sentido Caxambu ou municípios próximos. “Já estivemos em várias cidades próximas à Santa Rita procurando por informações e nada. Estamos desesperados. A mãe dele, coitada, chegou a passar mal quando soube de seu desaparecimento. É muito sofrimento”, concluiu a mulher.

 

 

error: Conteúdo protegido !