Exército amplia operação para Garantia da Lei e da Ordem na Divisa Sul, em Itatiaia

0

ITATIAIA/RESENDE

O Exército ampliou os limites da operação para fiscalização nas rodovias que fazem divisa do Estado do Rio de Janeiro para coibir o tráfico de armas, munições e drogas, além do roubo de cargas. Na manhã desta terça-feira, uma barreira foi montada na entrada da rotatória da Avenida Francisco Fortes Filho, no Acesso Oeste, próximo às instalações da Votorantim. A ação faz parte do Decreto Presidencial de Garantia da Lei da Ordem (GLO) assinado em 28 de julho de 2017 que determina a realização de operações de apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública. Além das Forças Armadas, também participam da ação, a Polícia Rodoviária Federal, as Polícias Civil e Militar e a Força Nacional (Senasp). A operação do Exército já era prevista e não tem relação com a Intervenção Federal na Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro.

Bloqueio foi ampliado para a rotatória do Acesso Oeste, na área urbana de Resende – Cyntia Freitas

As Forças Armadas estabeleceram pontos de bloqueio, controle e fiscalização de vias urbanas nos acessos rodoviários ao Estado do Rio de Janeiro. A partir de agora, na região das Agulhas Negras, a operação acontece no bairro Penedo, no antigo Posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que está desativado no KM 311, da pista de sentido São Paulo Rio e na Praça do Pedágio, no KM 318 da pista de Rio-São Paulo, ambos os pontos em Itatiaia e no Posto de Fiscalização de Nhangapi, no KM 324 e na rotatória da Avenida Francisco Fortes Filho, no Acesso Oeste, na área de Resende. Enquanto que no Sul Fluminense, também foram montadas bases de bloqueios na Rodovia Rio-Santos, na BR 101, em Paraty e na Vila de Mambucaba, em Angra dos Reis. Esta região foi denominada como Divisa Sul.

A ampliação das barreiras de fiscalização, segundo o major Anderson Yuri Rodrigues, chefe de Comunicação social da 12ª Brigada de Infantaria Leve Aeromóvel sediada em Caçapava (SP), tem o objetivo de fechar ainda mais o cerco da operação, já que o local serve de passagem a municípios do Estado de São Paulo e a área urbana de Resende. “Os bloqueios podem ocupar os locais de acordo com a necessidade e das estratégias determinadas pelo Comando Militar do Leste. Ampliamos a operação porque a estrada do Acesso Oeste faz divisa com vários municípios do Estado de São Paulo e ainda com a área urbana de Resende, o que pode ser considerado um ponto de fuga de veículos”, explicou o major Anderson, informando que nos postos de bloqueio de fiscalização de vias urbanas onde veículos são parados e vistoriados. “Nós estamos realizando operações esporádicas e temporais com o objetivo de reduzir a ação da criminalidade e melhorar a segurança publica no Estado do Rio de Janeiro. Não temos o prazo de até quanto às ações vão acontecer. Até o momento, o resultado tem sido bastante positivo. O balanço será divulgado pela Secretaria de Estado de Segurança”, disse o chefe de Comunicação.

Major Anderson Rodrigues explica que fiscalização no Acesso Oeste é que o local faz divisa com municípios de São Paulo – Cyntia Freitas

APOIO DA POLÍCIA MILITAR

Além do auxílio da Polícia Rodoviária Federal, nesta terça-feira, a Operação passou a contar com a ajuda do efetivo do 37º Batalhão da Polícia Militar (RESENDE). No bloqueio que está montado na rotatória do Acesso Oeste, já na área urbana de Resende, uma equipe da Polícia Militar está auxiliando o comboio do Exército. “Hoje de manhã, a 12ª Brigada de Infantaria Leve Aeromóvel de Caçapava, nos solicitou um apoio na base de bloqueio que foi montada no Acesso Oeste. O auxílio foi feito por consideraram o Acesso Oeste como rota de fuga de veículos que saem da Via Dutra para cidades do interior paulista e também para área urbana de Resende”, explicou o comandante do 37º BPM, tenente coronel, Rogério Jackes da Silva, que enviou uma equipe para auxiliar no bloqueio.

37º Batalhão da Polícia Militar (RESENDE) está participando da ação, no Acesso Oeste -Cyntia Freitas

OPERAÇÃO

Durante o tempo que a equipe de reportagem esteve no antigo Posto da Polícia Rodoviária Federal, em Penedo, os militares vistoriaram vários veículos e ônibus que seguiam de São Paulo para o Rio de Janeiro.

Ônibus, automóveis, caminhões e motocicletas são parados na fiscalização – Cyntia Freitas

Um bloqueio, feito com tachões, foi colocado na entrada do posto, para diminuir a velocidade dos veículos. “Aleatoriamente os veículos são abordagem e é feito a checagem dos veículos. Além da documentação do motorista e do veículo, os soldados do Exército ainda realizam uma vistoria no interior dos automóveis. Devido o fluxo intenso de veículos, a operação é  paralisada por alguns momentos para evitar a formação de grandes congestionamentos”, informou o Major Anderson, ressaltando a operação na Divisa Sul engloba um efetivo de 300 militares, além de veículos blindados do Exército e alojamento.

Em um dos coletivos parados na barreira, os militares vistoriam os documentos com o motorista e ainda inspecionaram o compartimento de bagagem. Nada de irregular foi encontrado. Toda a ação é registrada por filmagens do Exército.