Estado do Rio é destaque na produção de orgânicos

0

O Estado do Rio de Janeiro é pioneiro na comercialização de orgânicos cultivados pela agricultura familiar. A agricultura orgânica registrou no estado aumento de produção de 15% a 25% ao ano e já soma 721 produtores certificados pelo Ministério da Agricultura e distribuídos em 60 municípios fluminenses.

O crescimento anual demonstra que o sistema orgânico de produção tem se consolidado a cada ano, possibilitando a geração de emprego e renda de forma sustentável no campo.

Para estimular as práticas agroecológicas e apoiar quem já atua na área, a Secretaria de Agricultura e Pesca criou o Programa Cultivar Orgânico, que prevê recursos financeiros para investimento nas lavouras e assistência técnica para produção, além da aproximação com os circuitos de comercialização.

– O Cultivar Orgânico tem, através do Programa Rio Rural, do Governo do Estado, propiciado aos agricultores fluminenses condições para uma produção sustentável no meio rural fluminense, contribuindo para o desenvolvimento da área de orgânicos e na qualidade de vida desses agricultores, assim como viabilizando o consumo de alimentos saudáveis para a população de nosso estado – explicou o gerente do Cultivar Orgânico/Emater-Rio, Martinho Belo.

Recursos naturais

O Programa Rio Rural é o principal incentivador dos investimentos no segmento de orgânicos. Com recursos de cerca de R$ 11 milhões, o programa já contemplou mais de 5.500 produtores em todo o Estado do Rio. A área cultivada soma, em conjunto, cerca de 27.000 hectares.

A iniciativa, que conta com a parceria do Banco Mundial, tem ajudado também a alavancar o negócio de pequenos produtores.

Os investimentos estimulam mudança nos processos produtivos, adequando-os de forma a tornar sustentável a exploração dos recursos naturais, e agregando valor ao produto tanto para o produtor como para o consumidor.

Exemplo de produção sustentável

O Sítio Cultivar, fundado em 1991, foi um dos pioneiros na produção de orgânicos no estado. Em busca de qualidade de vida e de alimentos sem agrotóxicos, o casal Jovelina Fonseca e Luiz Paulo Ribeiro deixou a cidade do Rio de Janeiro e foi morar na Região Serrana.

No início, familiares e amigos não acreditavam no empreendimento. Hoje, passados quase 30 anos, eles são a prova de que é possível produzir alimentos orgânicos sem agredir o meio ambiente.

– Chegamos a plantar 40 espécies diferentes para ver o que era possível produzir sem fertilizantes químicos e agrotóxicos – disse Jovelina.

Em 42 hectares, eles produzem 14 variedades de verduras e legumes. Por mês, são cerca de sete mil itens, entre produtos in natura e os minimamente processados,  ou seja,  lavados, cortados e prontos para o consumo.

A produção é comercializada em supermercados locais e lojas do Rio de Janeiro.

– Pensamos em expandir para 10 mil mudas e dobrar a produção. Temos oito trabalhadores contratados – disse Jovelina.