Especialista orienta o consumidor a renegociar suas dívidas

0

RESENDE

O Serasa deu início no último dia 6 de novembro ao Feirão Limpa Nome, uma oportunidade do consumidor sanar suas dívidas com bancos, empresas de cartões de créditos, lojas do setor varejista entre outras empresas. A negociação pode ser feita online no site www.serasaconsumidor.com.br/feirao, até o dia 30 de novembro.

Para o educador financeiro, Reinaldo Domingos, a falta de educação financeira tem levado muitos brasileiros ao endividamento e inadimplência. Ele orienta o consumidor endividado a antes de partir para a negociação com as empresas que faça um reconhecimento do seu orçamento mensal e analise onde pode reduzir gastos. “O consumidor precisa entender que  apenas com um mudança comportamental é possível sair das dívidas de forma definitiva”, disse o especialista.

Reinaldo explica que o consumidor deve seguir alguns passos caso queira mesmo se livrar das dívidas. A primeira delas é o de colocar na ponta do lápis todas as dívidas que possuir; destacar as contas de serviços essenciais (energia elétrica, água e aluguel)  e as de maior incidência de juros (como cheque especial e cartão de crédito) que devem ter prioridade de pagamento; fazer um diagnóstico financeiro, ou seja, saber exatamente quais são seus ganhos e gastos mensais; com os números em mãos, elimine despesas supérfluas ou desnecessárias e vá para a negociação apenas quando souber o quanto terá disponível mensalmente para pagar. Outra dica é se caso tenha  reservas financeiras para quitar as dívidas, o consumidor pode negociar para obter bons descontos. Se não conseguir, poupe mensalmente e também as rendas extras, como o 13º salário, para voltar a negociar em um futuro próximo. “Esses passos são extremamente necessários, pois só se deve buscar a renegociação de dívidas quando tiver condições de pagar, ou seja, após conhecer as suas finanças e se planejar. Um passo precipitado pode até piorar a situação”, orienta Domingos.

O especialista complementa, explicando que o consumo consciente é a chave para a diminuição do endividamento e, consequentemente, da inadimplência. “As pessoas precisam parar e se fazer algumas perguntas, antes de sair abrindo a carteira. Isso faz parte de ser educado financeiramente”, orienta.

É preciso se questionar antes de comprar

Segundo o educador financeiro, para se ter controle dos gastos e inibir o ímpeto de comprar e contrair novas dívidas o consumidor deve fazer uma análise da necessidade da compra daquele produto.  Veja perguntas que o consumidor deve se fazer antes de qualquer compra:

Eu realmente preciso desse produto? O que ele vai trazer de benefício para a minha vida? Se eu não comprar isso hoje, o que acontecerá?  Estou comprando por necessidade real ou movido por outro sentimento, como carência ou baixa autoestima?  Estou comprando por mim ou influenciado por outra pessoa ou por propaganda sedutora?

Reinaldo afirma que se mesmo diante deste questionamento, a pessoa concluir que realmente precisa comprar o produto, seria prudente fazer mais algumas perguntas como: De quanto eu disponho efetivamente para gastar? Tenho o dinheiro para comprar à vista? Precisarei comprar a prazo e pagar juros? Tenho o valor referente a uma parcela, mas o terei daqui a três, seis ou doze meses? Preciso do modelo mais sofisticado, ou um básico, mais em conta, atenderia perfeitamente à minha necessidade? “Paciência e planejamento na hora de adquirir algum produto é de extrema importância para fugir das dívidas”, ensina o professor.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !