Volta Redonda destaca rede de proteção para crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência

0

VOLTA REDONDA
Volta Redonda conta com uma rede de proteção para crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência. No Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado em 18 de maio, a Prefeitura de Volta Redonda destaca o serviço prestado pelo Centro de Atendimento Integrado à Criança e ao Adolescente (CATI-CA), órgão da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).
O CATI-CA, em funcionamento no bairro Vila Mury desde 2020, oferece escuta especializada, onde a criança é atendida por profissionais capacitados, psicólogos, assistentes sociais e educadores, em conformidade com a Lei Federal 13.431/2017, que estabelece o sistema de garantia de direitos de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência.
De acordo com a coordenadora do CATI- CA, Lilian Carvalho Varela, as vítimas são encaminhadas ao espaço através do Conselho Tutelar e também pelo sistema judiciário e demais órgãos que acompanham as ocorrências e situações de vulnerabilidade.
ESCUTA PROTEGIDA GARANTE MAIOR PROTEÇÃO
Lilian ressaltou que a escuta protegida garante maior proteção para esse público ao falar em um ambiente acolhedor, evitando o processo de revitimização, ter que relatar incontáveis vezes o trauma sofrido. “O Centro de Atendimento Integrado estabelece e orienta quanto ao atendimento integrado, com equipes multidisciplinares para acolher crianças e adolescentes em situação de violência, tanto física quanto psicológica e sexual. O CATI-CA foi criado em 2020, em média atendemos 13 crianças por dia, incluindo as que já fazem acompanhamento no local”, disse.
Segundo Lilian, a maioria dos casos que chegam até o CATI-CA é de violência física ou sexual, com 54,1% sendo crianças e 45,9% de adolescentes. O Centro de Atendimento Integrado à Criança e ao Adolescente já atendeu 419 crianças. “Dos casos que já atendemos, 36,4% são referentes a violência sexual e 20,6% de violência física. A maioria das vítimas é do sexo feminino com 68,9%, e 31,1% masculino. É importante também mencionar que os autores desses crimes são do núcleo familiar – parente ou alguém muito próximo da vítima”, comentou.
APÓS SOFRER OU TESTEMUNHAR UMA VIOLÊNCIA
Lilian acrescentou ainda que as crianças ou adolescentes, após sofrer ou testemunhar uma violência, podem mudar o comportamento.
Por isso, é fundamental pais ou responsáveis ficarem atentos às mudanças comportamentais da criança. “Os pais ou responsáveis precisam ficar atentos aos sinais de alerta na criança ou adolescente que esteja sofrendo algum tipo de violência. Muitos alteram completamente o comportamento, ficam mais fechados ou às vezes apresentam agressividade. É bom os pais também observarem qualquer sinal de ferimentos ou lesão no corpo. Além disso, o diálogo e a confiança devem estar sempre presentes para que a criança converse sobre o que possa estar ocorrendo”, citou a coordenadora do CATI-CA, Lilian Varela.
Denúncias de violência física, psicológica ou sexual em crianças ou adolescentes devem ser feitas ao Conselho Tutelar de Volta Redonda, através dos números 3339-9610 (Conselho Tutelar 1), 3339-9261 (Conselho Tutelar 2) ou (24) 99938-1589 (Plantão). Ou ainda pelo disque 100, número nacional de denúncias.