Semana do Brasil favoreceu vendas pela internet

0

SUL FLUMINENSE

A Semana do Brasil terminou oficialmente no domingo, dia 15, após ter começado no dia 6, como novidade do governo federal para fomentar o comércio e o turismo durante o mês de setembro. Dados analisados em cinco dias do evento mostram as vendas on-line em evolução.

Houve um crescimento na faixa de 10% no segmento de e-commerce, até o dia 10 do, segundo dados levantados pelo Compre & Confie, empresa de inteligência de mercado com foco em e-commerce. A empresa projeta que a alta real do e-commerce na Semana do Brasil foi de 8% a 10%. O comparativo com a semana anterior à Semana do Brasil indicou aumento de 18,1% nos pedidos on-line. Na sexta-feira, dia 13, com a liberação dos saques das contas ativas e inativas do FGTS muitos trabalhadores ampliaram a renda com valores individuais a partir de R$ 500, o que pode representar mais vendas realizadas. Um balanço oficial da Semana do Brasil deve ser divulgado pelo governo federal e setores do comércio varejista nos próximos dias. “Eu utilizei o dinheiro do Saque Imediato para fazer compras e como a internet tem mais descontos que as lojas físicas comprei roupas, livros e até um tênis”, conta a servidora Bianca Naldini, de Itatiaia.

As vendas através da internet foram impulsionadas durante a primeira edição da Semana do Brasil

A ideia da semana criada pelo governo é realmente estimular o consumo em uma época considerada ociosa entre o Dia dos Pais (agosto) e Dia das Crianças (outubro). Proprietário de uma loja com vendas no varejo e também pelo e-commerce, Renato Machado acredita que a novidade deve agradar os clientes. “O consumidor gosta de promoção, desconto e esta ação ajuda. Coincidindo com o saque do FGTS pode melhorar nossas vendas. Tive aumento de 3% nas vendas na loja e R$ 5% pela internet nesta semana. Espero que até domingo tenhamos um salto nas vendas”, afirma o empresário do ramo de produtos decorativos personalizados.

Segundo o Instituto Fecomércio de Pesquisa e Análises (IFec RJ), em âmbito estadual, a opção pelas vendas on-line são cada vez mais constantes. No último levantamento do IFec RJ, o hábito de fazer compras on-line já faz parte da rotina de 84,6% dos consumidores e o gasto médio dos consumidores é de R$ 273. Os principais produtos comprados via internet são eletrônicos (68,1%), eletrodomésticos (50,8%), vestuários (43%), calçados (41,1%), móveis/decoração (31,4%) e beleza (36,4%).

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !