Secretaria de Políticas para Mulheres de Volta Redonda conta com atendimento especializado para vítimas em situação de violência 

0

VOLTA REDONDA

Em Volta Redonda, a Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos (SMIDH) oferece um amplo serviço de atendimento para mulheres em situação de violência doméstica e familiar. Tudo isso considerando a importância de integrar as ações e os compromissos inerentes à Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres.

A SMIDH realiza diversas ações ao enfrentamento da violência doméstica e familiar através de serviços especializados como o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM), que tem a finalidade de acolher, atender, orientar e acompanhar a mulher vítima de qualquer tipo de violência. “Em Volta Redonda temos uma rede de proteção e atendimento bem estruturada, considerada a maior Rede do estado do Rio de Janeiro. Juntamente com o CEAM e a Secretaria, contamos diretamente com a Casa Abrigo Deiva Ramphini Rebello, Patrulha Maria da Penha e o Juizado da Violência Domestica e Familiar. Esses são equipamentos importantíssimos no atendimento às vitimas da violência domestica”, destacou a secretária da SMIDH, Maria da Glória Borges Amorim.

EQUIPE MULTIDISCIPLINAR

Contando com uma equipe multidisciplinar composta por psicólogas, assistentes sociais e assessoria jurídica, o CEAM tem por finalidade fazer o acolhimento e o acompanhamento desses casos com o objetivo viabilizar a superação da situação de violência a que a mulher foi ou está submetida, assegurando direitos fundamentais e contribuindo para seu fortalecimento e para o resgate de sua cidadania e de seus direitos fundamentais.

De acordo com dados divulgados pelo Núcleo de Estudos ISPMulher, do Instituto de Segurança (ISP-RJ), a adoção de medidas de isolamento social por conta do novo coronavírus, a partir de março de 2020, afetou diretamente o número de registros de ocorrência de violência contra a mulher na Polícia Civil. A queda significativa desses registros, em comparação com anos anteriores, é um dado que aponta para uma possível subnotificação destes casos por conta das restrições e do isolamento causados pela pandemia.

EVITAR O MASCARAMENTO DA REALIDADE DE VIOLÊNCIA

A fim de evitar o mascaramento da realidade de violência contra mulheres através da subnotificação de registros, o CEAM reitera, portanto, a regularidade na prestação de seus serviços de atendimento. Desde o início das medidas restritivas para conter o avanço da pandemia, o CEAM adotou novos protocolos de atendimentos, conforme o decreto estadual que dispõe sobre medidas temporárias de prevenção ao contágio e de enfrentamento da propagação do novo coronavírus.

Atualmente o CEAM funciona com os atendimentos presenciais adotando todas as medidas de precaução necessárias para a prevenção do contágio. Entretanto, o CEAM reforça a importância fundamental, ampliada pela pandemia, dos canais de comunicação via telefone para atendimento e acolhimento a mulheres submetidas a situações de violência. São eles o telefone do Centro Especializado de Atendimento a Mulher (CEAM), que atende pelo número: (24) 3339-9025, e o da Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos (SMIDH), que atende pelo número (24) 3339-9215.

 

 

error: Conteúdo protegido !