Romário é reeleito Senador pelo Rio

0

RIO

Conforme previu todas as pesquisas divulgadas desde o início da campanha eleitoral 2022, Romário (PL-RJ) venceu a disputa para o Senado Federal no Estado do Rio de Janeiro. Ele, que já ocupa o cargo, concorreu à reeleição este ano com mais dez adversários.

Com mais de 97% das urnas apuradas até o fechamento desta edição, Romário ficou com 2.368.925 votos (29,17%) e o segundo colocado, Alessandro Molon (PSB) 1.726.299 votos (21,26%). Na sequência ficaram Daniel Silveira (PTB) sub Judice, Clarissa (União), André Ceciliano (PT) e Cabo Daciolo (PDT). Após a vitória, Romário comemorou com a família e agradeceu os votos recebidos neste domingo.

Pelo Twitter, Romário agradeceu pelos votos dos eleitores e falou da emoção de ser reconduzido ao Senado pelo povo do Rio de Janeiro. “Prometo a vocês que trabalharei ainda mais para entregar uma melhor qualidade de vida para a população fluminense e brasileira. Esta eleição foi de muita luta, enfrentei concorrentes covardes e desleais, mas a população não se deixou enganar. E eu agradeço, mais uma vez, a confiança depositada em mim”, escreveu o senador.

O novo mandato começa no dia 1º de fevereiro de 2023. A chapa tem como suplentes Bruno Bonetti e Andrea Fontes, ambos do PL. Romário de Souza Faria nasceu no Rio de Janeiro e tem 56 anos. Considerado um dos maiores jogadores do futebol brasileiro, deu início à carreira política em 2010, aos 49 anos, quando foi eleito deputado federal pelo PSB.

No primeiro mandato no Senado, dedicou-se a pautas ligadas ao esporte e em defesa das pessoas com deficiência. Neste ano, foi relator do PL 2.033/2022, que acaba com a limitação de procedimentos a serem cobertos pelos planos de saúde. O texto foi sancionado em setembro como Lei 14.454, de 2022.

Em 2018, Romário foi candidato ao governo do Rio de Janeiro, mas não se elegeu. Já foi filiado ao PP (2001-2009), PSB (2009-2017), Podemos (2017-2021). Está no PL desde 2021.

PARTICIPAÇÃO DE DESTAQUE

Vale ressaltar que dos dezenas de projetos aprovados pelo Senado Federal em 2021, alguns deles tiveram a participação de destaque do senador Romário (PL-RJ). Com uma aprovação histórica, Romário foi relator do projeto de autoria do Senador Paulo Paim, que tipifica a injúria racial como crime de racismo. O texto aumenta a pena para o crime e insere novo artigo na Lei de Crimes Raciais, definindo pena de multa e prisão de dois a cinco anos.

O texto incorpora ao Direito Penal o que o Supremo Tribunal Federal já vem consolidando: a injúria racial é crime de racismo e como tal deve ser tratada, em todos os seus aspectos processuais e penais.

Outra partida importante foi uma pelo direito de assistência à saúde de milhares de servidores públicos federais e suas famílias. O senador reeleito foi relator e um defensor fervoroso do projeto, ajudando a derrubar uma resolução, agora revogada, que limitava a contribuição das empresas estatais aos planos de saúde dos empregados (PDL342/2021).

Vale ressaltar que este ano os eleitores do Rio de Janeiro votaram para eleger somente um senador. O Rio tem outros dois senadores: Carlos Portinho (PL) e Flávio Bolsonaro (PL). O Partido Liberal, do atual presidente da República, Jair Bolsonaro, elegeu oito senadores e é a maior bancada para o próximo ano. Os eleitos para a próxima legislatura foram: Espírito Santo: Magno Malta; Goiás: Wilder Morais; Rondônia: Jaime Bagattoli; Santa Catarina: Jorge Seif; Mato Grosso: Wellington Fagundes; Rio de Janeiro: Romário; Rio Grande do Norte: Rogério Marinho; São Paulo: Marcos Pontes.

O ranking do partido com maior liderança pode mudar se o União Brasil e PP efetivarem a fusão partidária anunciada por dirigentes das siglas. Neste caso, o partido novo chegaria a 16 senadores.

Votação completa para o Sendo Federal pelo Rio de Janeiro
https://bit.ly/3M1ZdeD