Representantes do Comércio discutem estratégias contra o Covid-19

0

SUL FLUMINENSE

O avanço do Novo Coronavírus (Covid-19) mobiliza não só as autoridades de saúde como todo o sistema econômico. Um dos principais geradores de emprego do Sul Fluminense, o setor do Comércio, tem mostrado preocupação tanto com a questão da saúde pública quanto a iminente queda nas vendas pela redução de consumidores em compras nas lojas.

Com as orientações do Ministério da Saúde e Governo do Estado do Rio de Janeiro para que a população evite circular pelas ruas, sobretudo os idosos, há o consenso de ações sejam antecipadas para reduzir o impacto do Covid-19 na economia regional. Nesta terça-feira, dia 17, os presidentes da Associação Comercial, Industrial, Agropastoril e Prestadora de Serviços de Barra Mansa (Aciap-BM), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Sindicato do Comércio Varejista (Sicomércio) e Conselho de Desenvolvimento Econômico de Barra Mansa (Codec BM) fizeram reunião na sede da Aciap, na Avenida Domingos Mariano, no Centro. O prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable participou do debate visando as ações para minimizar os impactos da pandemia do Coronavírus na cidade.

As entidades decidiram recomendar a empresas associadas que dispensem de suas funções temporariamente funcionários que apresentem quadro gripal. “Pedimos ainda que os estabelecimentos mantenham ventilação natural, evitando o uso de aparelhos de ar condicionado”, orientou Bruno Paciello, presidente da Aciap-BM. Por sua vez, o prefeito Rodrigo Drable reforçou que as informações relacionadas às ações da administração municipal para evitar a expansão da doença na cidade estão sendo atualizadas diariamente no portal da prefeitura (www.barramansa.rj.gov.br). “Estamos seguindo as orientações do governo estadual e do Ministério da Saúde. Cumpriremos tudo que for decretado pelo governador”, garantiu Drable.

Os presidentes solicitaram ainda ao prefeito fiscalização mais efetiva com relação aos ambulantes, já que a maioria é oriunda de outros estados e transitam por várias localidades, trazendo mercadorias sem inspeção sanitária para o município.

A integração visa o fortalecimento do comércio e preservação da saúde coletiva – Foto: Fábio Guimas

ORIENTAÇÃO DE SAÚDE

Além das ações de preservação da economia local, as entidades orientam que colaboradores e consumidores adotem as orientações de saúde indicadas pelas autoridades contra o avanço do Covid-19. O presidente da CDL-BM, Leonardo dos Santos, confirmou que o momento é de atenção e a CDL vai auxiliar a população a realizar os modos de prevenção. “Entendemos que o momento não é de descontrole e que as autoridades de saúde estão tomando todas as providências necessárias. No entanto, cabe as entidades, como a CDL de Barra Mansa, ajudar a esclarecer os seus associados com relação aos cuidados para evitar a contaminação. É isso que estamos buscando”, afirma.

O presidente da CDL-BM, ressaltou ainda que no comércio existe o contato direto entre clientes e colaboradores, o que reforça a prática da higiene das mãos, por exemplo. “Como divulgado pela nossa Confederação Nacional, lembramos que a natureza do comércio implica no contato direto com o consumidor e que esse encontro pode fazer a diferença entre a propagação da doença e sua contenção. Nesse sentido, pedimos a cada um dos nossos lojistas que faça a sua parte mantendo seus estabelecimentos comerciais limpos e orientando seus funcionários e clientes”, frisa, lembrando que entre as principais recomendações estão evitar o pânico, pois a pandemia já era iminente.  “Era apenas uma questão de tempo esse anúncio, mas podemos fazer essa história ser diferente aqui no Brasil. Evitar contato próximo com pessoas que estejam com infecções respiratórias agudas; lavar frequentemente as mãos, com sabão, especialmente após contato direto com pessoas, dinheiro e antes de se alimentar. E utilize álcool gel”, adverte o comunicado da CDL-BM.

Outras dicas de higiene e prevenção ao contágio do vírus são fundamentais também, como a que orienta o funcionário que trabalha diretamente com dinheiro a utilizar luva e máscara. E outras como: cobrir nariz e boca com o antebraço ao espirrar ou tossir; evitar tocar nas mucosas dos olhos; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos; manter os ambientes bem ventilados; coibir disseminar as ‘fake news’, acatando sempre o que estiver no site do Ministério da Saúde como informações confiáveis; evitar trocas de abraços, beijos e aperto de mão nesse período. Todos vão entender a necessidade
de cumprimentar apenas com um sorriso à distância; visita aos idosos pode esperar também. Afinal, podemos ajudar a cuidar da imunidade e saúde deles.

Leonardo dos Santos ressalta ainda que eventos e reuniões de diretoria da entidade CDL foram canceladas neste período. “O efeito de tudo isso para a saúde e para a economia é de fato negativo. A gente já sentia coronavírus numa economia virtual com queda de bolsa de valores, cotações nas empresas e que agora chegou no Brasil, na economia real, com restaurantes e lojas mais vazias, cinema sem funcionamento. Um impacto grande na economia. Esperamos o apoio e medidas – já sendo tomadas pelo governo federal – para passarmos por essa fase no varejo”, diz o presidente da CDL-BM.

CDL ITATIAIA RESENDE DISCUTE MEDIDAS

Ainda nesta terça-feira, 17, os representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itatiaia e Resende (CDL Itatiaia Resende) e Sindicato do Comércio Varejista de Resende (Sicomércio) também promoveram reunião sobre o impacto do Coronavírus. Os diretores divulgaram uma nota oficial e devem endossar medidas pela preservação da economia local e a manutenção da saúde pública, junto da Prefeitura de Resende. Uma reunião no gabinete do prefeito Diogo Balieiro era prevista para o fim da tarde desta terça e pode, em breve, indicar ações em conjunto entre as entidades e o governo municipal.

De antemão, a CDL Itatiaia Resende e o Sicomércio Resende confirmaram que estão acompanhando de perto as notícias referentes ao Coronavírus, entendendo o grave momento enfrentado pela população e pelo comércio varejista. “Como é de conhecimento de todos, tanto o Estado do Rio de Janeiro, quanto a Prefeitura da Cidade de Resende emitiram decretos que visam prevenir e limitar a contaminação da população. Orientamos nossos associados a atenderem as orientações das autoridades competentes, colaborando com todas as atitudes necessárias visando a saúde e segurança da população, clientes, funcionários, colaboradores e parceiros”, frisa o documento das entidades, assinado pelo presidente da CDL, Victor Gonçalves e do Sicomércio, Alberto Halpern.

A CDL e o Sicomércio discutem ações para fortalecer o comércio de Resende – Foto: Arquivo

No município, as empresas de ramos de atividade que não foram limitados pelas determinações governamentais contra o Covid-19 foram orientados pela CDL e Sicomércio a manter o funcionamento padrão. “Orientamos que os ramos de atividade que não foram limitados pelas determinações governamentais permaneçam de portas abertas, assegurando e oferecendo à população o fornecimento de serviços e produtos, evitando caos no abastecimento e contribuindo com a manutenção da atividade econômica. Estaremos analisando as alternativas e incentivos governamentais para os empresários e lutando para que soluções sejam criadas para que o comércio varejista passe por este momento da forma mais branda possível”, destaca o comunicado conjunto das entidades, que por fim, enaltece a preocupação com a saúde coletiva. “Não podemos deixar de pensar na saúde de nossa população e clientes, bem como na saúde de nossas empresas que fomentam a economia e empregam vários cidadãos. Sejamos persistentes, criativos e sagazes”.

CDL-VR E SICOMÉRCIO-VR ORIENTAM LOJISTAS SOBRE PREVENÇÃO

Alinhados com as medidas tomadas pelos governos Federal, Estadual e Municipal, o Sindicato do Comércio Varejista de Volta Redonda (Sicomércio-VR) e CDL-VR (Câmara de Dirigentes Lojistas de Volta Redonda) estão orientando seus associados e comerciantes da cidade a cumprirem rigorosamente todas as medidas de higienização tanto dos seus pontos de vendas quanto pessoal.

Além delas, que são: lavar bem as mãos com água e sabão várias vezes ao dia (isso é o mais importante na higienização); disponibilizar álcool em gel para os clientes, caso não encontrem, orientem os clientes a lavarem as mãos; desinfetar diversas vezes superfícies de contato como balcão, vitrines, portas e maçanetas; se tossir ou espirrar cobrir a boca com o antebraço; mantenha uma distância de um metro do seu cliente e explique a medida de segurança; a recomendação é também oferecer serviço de delivery para os clientes.

Os funcionários com sintomas de gripe, que possam ser também do coronavírus deverão ser dispensados, seguindo a orientação da Secretaria Estadual de Saúde. As duas entidades estão ainda pedindo que os bares, restaurantes e lanchonetes respeitem o decreto estadual, funcionamento apenas com 30% da sua capacidade física, orientando os clientes a pedirem entrega ou retirarem os pedidos nos estabelecimentos. Além disso, reforça a importância de evitar aglomerações, assim, como determina o decreto do Governo do Estado, que recomenda também o fechamento das academias. Empresas que tenham funcionários em grupo de risco, a orientação é dispensá-los neste momento. Outra medida é incentivar a carona entre os funcionários para evitar os ônibus.

Pede ainda que as lojas que vendam álcool em gel não reajuste o preço do produto, porque muitas pessoas precisam dele no momento, além disso, a cobrança abusiva está sendo fiscalizada pelo Procon.

A direção do Park Sul optou em funcionar em horário diferenciado – Foto: Fábio Guimas

FUNCIONAMENTO DO COMÉRCIO

Sobre o horário de funcionamento do comércio, o mesmo continua normal, sem recomendação de fechar. Os shoppings Park Sul e Sider optaram por funcionar em horário diferenciado, conforme divulgado em seus sites e redes sociais. No caso das lojas, a orientação das duas instituições é que se crie escalonamento de horário de entrada e saída dos funcionários. Exemplo: entradas 8h30min, 9h30min e 10h3min, com saídas às 16h30min, 17h30min e 18h30min. O objetivo é contribuir para que não haja aglomeração de pessoas nos horários de pico da circulação do transporte coletivo, evitando que um maior número de pessoas entre nos ônibus ao mesmo tempo.

As entidades têm emitido diariamente notas e divulgado informações para orientar a população sobre as medidas preventivas, além de estarem se mantendo informada junto ao Poder Público sobre qualquer mudança ou estratégia de contenção do avanço do Coronavírus na cidade. As instituições estão cientes da importância de se combater a doença antes que ela se espalhe e a pandemia chegue a Volta Redonda, levando em consideração as perdas econômicas que as empresas vão ter, se algo pior acontecer, mas sempre, pensando, primeiro na saúde e qualidade de vida da população. O momento é de cautela e pedimos a todos que sigam ao máximo as orientações divulgadas pelos órgãos de saúde e veiculadas na imprensa.

error: Conteúdo protegido !