Maria Elisa e Carol Solberg disputam etapa de Xiamen (CHI) pelo Circuito Mundial de Vôlei de Praia

0

RESENDE

A bicampeã do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia Open, a resendense Maria Elisa Antonelli, está na China. A jogadora de 34 anos disputa o Open de Xiamen, quarta etapa feminina quatro estrelas do Circuito Mundial de Vôlei de Praia, organizado pela Federação Internacional de Volleyball (FIVB). Junto da companheira de time, a carioca Carolina Salgado Solberg, 30, o time segue em busca de melhorar sua colocação no ranking mundial. Atualmente, Maria Elisa e Carol Solberg são as 12ª no ranking da FIVB.

O evento ocorre entre os dias 18 e 22, mas o time participa somente do torneio principal, que começa nesta quinta-feira, dia 19. Os jogos serão realizados no Guanyinshan Golden Beach. Os vencedores recebem US $ 150 mil. Em janeiro, Maria Elisa e Carol disputaram o Open de Haia, na Holanda e ficaram com a prata.

Maria Elisa e Carol Solberg embarcaram para a China no dia 14, após praticamente uma semana do Open de Aracaju, pelo Circuito Brasileiro, quando foram campeãs da temporada 2017/2018.  Maria Elisa passou os últimos dias no Brasil no Rio de Janeiro, onde reside. Antes de embarcar para o Oriente, a jogadora concedeu entrevista ao A VOZ DA CIDADE onde comentou o bicampeonato nacional e agradeceu o apoio da imprensa e toda a torcida resendense.

Maria Elisa e Carol Solberg são as campeãs do Circuito Open Brasileiro 2017-2018

Sobre o bicampeonato, uma vez que venceu o Circuito Open Brasileiro em 2009, ao lado de Talita, Maria Elisa exaltou o retorno ao topo do ranking nacional depois de quase 10 anos. “Representa uma volta por cima na minha carreira. Estar há 10 anos entre as melhores do país tem um preço alto de muita dedicação e entrega. To muito feliz com este momento que estou vivendo novamente”, disse. Das sete etapas do Circuito Open, Maria Elisa e Carol estiveram no pódio em seis delas. Para Maria Elisa, o equilíbrio entre técnica e forma física foi fundamental. “O time demonstrou muita força física, equilíbrio técnico e emocional. Basicamente o que mostramos foi isso. Temos uma sintonia diferenciada e uma equipe muito competente”, argumentou. Sobre projetos, após disputar as Olimpíadas de Londres 2012 e ser reserva no Rio 2016, a resendense mantém a expectativa de disputar o ouro em Tóquio 2020. “A olimpíada me motiva demais e, claro, uma medalha seria para coroar minha carreira. Mas estar jogando em alto nível, ganhar de jogadoras mais novas, com mais vigor físico faz com que eu me reinvente a cada etapa. Isso me fascina. Estou em busca do lugar mais alto do pódio em todo torneio que jogo”, disse.

PARCERIA E TORCIDA

Para ela, a companheira Carol Solberg foi fundamental no desempenho do time na temporada vitoriosa. “Carol é muito parecida comigo dentro de quadra e na gestão do time fora de quadra. Isso nos ajuda muito na hora de tomar decisões. Conversamos muito e nós respeitamos bastante, até quando não concordamos com algo. Jogar com ela tem sido prazeroso, nos entendemos no olhar”, analisa a jogadora.

Aos fãs, amigos e torcedores a jogadora reforçou o amor à Resende e sua origem. “Eu amo a minha cidade, amo a energia e esta proximidade que meu passado tem com meu presente. As pessoas me viram pequena com uma bola de vôlei na mão inúmeras vezes e sabem o quanto foi chocante para eles me verem sair de uma cidade pequena e estar entre as melhores do mundo. Eles vibram, se sentem parte disso e eu adoro dividir minhas conquistas com eles”, disse, lembrando a rotina de treinos. “Pena que não tenho tanto tempo para isso, mas quando posso estou com meus amigos e familiares”, conta a atleta que é destaque em suas disputas pelo A VOZ DA CIDADE. “A Voz da Cidade sempre acompanhou e olhou com carinho para minha carreira e eu agradeço por isso”, finalizou.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !