CSN tem lucro de R$ 1,2 bilhão no terceiro trimestre

0

VOLTA REDONDA

A Companhia Siderúrgica Nacional divulgou os resultados de suas operações no terceiro trimestre de 2020. Os dados abordam os resultados consolidados da CSN de junho a setembro e as comparações são relativas ao mesmo período de 2019 e ao segundo trimestre de 2020. A CSN (CSNA3) terminou o terceiro trimestre de 2020 com lucro líquido de R$ 1,2 bilhão, sendo que no mesmo período do ano passado o saldo era de um prejuízo de R$ 871 milhões. A receita líquida teve alta de 45% no comparativo anual atingindo R$ 8,7 bilhões.

O Ebitda, sigla de Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization, conhecida em português como Lajida, ou Lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização, atingiu R$3,5 milhões no terceiro trimestre de 2020, ou 82% superior ao trimestre anterior. Isso em função de combinação de melhores volumes, preços e custos em basicamente todos os segmentos de atuação. Na combinação de preços na siderurgia a recuperação do volume de vendas e da produtividade em custos proporcionaram evolução de 70% no Ebitda no mesmo período em relação ao trimestre anterior. As vendas no mercado doméstico no terceiro trimestre foram 50% maior que o trimestre anterior.

No terceiro trimestre, a produção de placas pela CSN somou 781 mil toneladas – Divulgação

A receita líquida no terceiro trimestre totalizou R$ 8,7 milhões, sendo 40% superior ao auferido no trimestre anterior e 45% superior ao auferido no terceiro trimestre de 2019. Segundo o levantamento, o acréscimo de receita de julho a setembro se deu principalmente pela normalização do volume de produção de minério de ferro, combinado com preços maiores de minério de ferro, cimento e aço frente ao segundo de abril a junho deste ano.

RESULTADO DA SIDERURGIA

Segundo a World Steel Association (WSA), a produção global de aço bruto totalizou 311,1 milhões de toneladas (Mton) no acumulado de julho e agosto de 2020, queda de 0,3% em relação ao mesmo período acumulado de 2019, sendo que a China produziu sozinha 188,2 Mton, alta de 8,7%, enquanto na União Europeia e América do Norte, houve queda em relação ao mesmo período do ano anterior. No terceiro trimestre, a produção de placas pela CSN somou 781 mil toneladas, 15% menor em relação ao período anterior em função da paralisação estratégica do Alto Forno 2 ao final de maio, o que demonstra uma evolução substancial de performance do Alto Forno 3 após a reforma geral em 2019.

De julho a setembro as vendas totais atingiram 1.278 mil toneladas, 27,4% acima quando comparada ao período de abril a maio, em função principalmente da recuperação no mercado interno pós pico da pandemia, somado ao bom aproveitamento de produtos zincados no mercado externo.

No terceiro trimestre o volume de aço comercializado no mercado interno somou 923 mil toneladas, 50% superior ao segundo trimestre em função de forte recuperação pós pico da pandemia. Deste total, 869 mil toneladas referem-se a aços planos e 54 mil toneladas a aços longos. De acordo com dados do Instituto Aço Brasil (IABr), o consumo aparente no país com base na média mensal (julho e agosto 2020), apresentou evolução de 29% em relação à média mensal no segundo trimestre.

MERCADO EXTERNO

No mercado externo, as vendas do terceiro trimestre somaram 355 mil toneladas, 9% inferiores às realizadas no trimestre imediatamente anterior, em função da sazonalidade na Alemanha e ao ritmo de uso das quotas no mercado americano. Neste período, 26 mil toneladas foram exportadas de forma direta e 329 mil toneladas foram vendidas pelas subsidiárias no exterior, sendo 63 mil toneladas pela LLC, 171 mil toneladas pela SWT e 94 mil toneladas pela Lusosider.

No terceiro trimestre, com relação ao volume total de vendas, a participação de produtos revestidos de aços planos permaneceu estável em 53%, contra o trimestre passado e ano anterior. Os volumes de vendas para os segmentos automotivo (165%), linha branca (108%) e distribuição (52%) foram os destaques positivos do período, com forte recuperação após o impacto da pandemia no segundo trimestre.

De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), na média mensal no terceiro trimestre de 2020 a produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus atingiu o montante de 190,7 mil unidades, aumento de 300%, frente a média mensal no trimestre anterior, no entanto ainda abaixo da média mensal de 245 mil em todo o ano de 2019. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção de eletrodomésticos registrou queda de 5% referente aos meses acumulados até agosto de 2020, comparado ao mesmo período acumulado anterior.

RECEITA LÍQUIDA

A receita líquida na Siderurgia atingiu R$4,5 milhões no terceiro trimestre, 33% superior ao trimestre anterior. A recuperação doméstica, o câmbio desvalorizado e a melhora nos preços internacionais proporcionaram implementação de reajustes nas principais linhas de produtos ao longo do período, e o preço médio apresentou evolução em ambos os mercados (4,6% no interno e 5,3% no exterior) contra o trimestre anterior.

O Ebitda ajustado atingiu R$551 milhões no terceiro trimestre, montante 70% superior ao obtido no anterior, levando a margem Ebitda a 12,1%, com ganho de 2,6 pontos percentuais no período, e evolução significativa na rentabilidade de R$324/ton no segundo trimestre para R$431/ton no terceiro trimestre.