Comissionados exonerados da Prefeitura de Volta Redonda querem saber quando irão receber seus salários atrasados

0

VOLTA REDONDA

Sem receber parte do salário de novembro e o integral de dezembro atrasados, além do décimo terceiro, os comissionados do último governo de Volta Redonda , que foram exonerados no início do governo Antonio Francisco Neto (DEM), estão em busca de informação de quando irão receber seus direitos. Vários dos demitidos procuraram o A VOZ DA CIDADE para pedir socorro se queixando que estão desempregados, passando por dificuldades e, enquanto isso, as contas vão chegando e os juros disparando.

São  cargos comissionados de vários setores que se queixam da situação crítica pela qual estão passando. Um deles, que faz parte dos exonerados disse que muitos dos demitidos estão há mais de dez anos trabalhando pela Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac) e que no inicio de janeiro foram demitidos sem receber 50% do salário de novembro, o integral de dezembro e o décimo terceiro. “Gostaria de saber se o prefeito Neto tem previsão de nos pagar. Fomos demitidos e em momento algum o prefeito ou a prefeitura falam sobre os comissionados. Sabemos que ele pagou novembro e dezembro dos concursados ativos e inativos e para nós, nada até agora”, criticou um dos cargos comissionados que foi demitido.

BUSCA DE INFORMAÇÃO

Disse o ex-comissionado que na manhã de ontem, juntamente com outros demitidos, esteve no Palácio 17 de Julho, mas não puderam entrar. Foi atendido pela secretária no telefone da recepção e não tem previsão de pagamento. “Na verdade, fizemos o grupo de 4 para ir à prefeitura, mas nem assim foram recebidos. Foi uma tentativa de conversar, uma manifestação pacífica, mas não deu”, contou o demitido.

Outro ex-funcionário da Smac informou que está há dois meses com salários atrasados e agora desempregado, em pleno a pandemia do coronavírus. “Fomos exonerados no primeiro dia útil de janeiro sem receber metade do pagamento de novembro, dezembro e 13º. Temos família e contas para pagar que estão acumulando. Pedimos socorro, pois não temos de onde tirar dinheiro ainda mais na pandemia que não conseguimos emprego”, destacou.

Lembrou ainda o demitido que o Neto está alegando que terá que averiguar quem trabalhou e quem era fantasma. “Tem gente que estava na Smac desde 2012, na gestão passada do Neto como RPA, sem vínculo empregatício e que em dezembro de 2019 foram passados para comissionados e desde então trabalhando. Agora estamos nesta situação com nossos direitos violados”, relatou o ex-comissionado. “Hoje deparamos com muitas dificuldades, pois temos família e a situação cada dia mais complicada. Sem dinheiro e sem emprego, em plena a pandemia, não temos expectativa nenhuma.

NEM NOVEMBRO NEM NADA

Os demitidos disseram que o prefeito acabou de pagar os 70% do salário de dezembro aos funcionários concursados, mas sobre o deles nada informou. “E nós que também trabalhamos não recebemos novembro e nem nada. Sem previsão de nos pagar. Estamos vivendo uma grande aflição. Gostaríamos de saber do atual prefeito sobre a previsão de pagamento dos comissionados”, disse outro demitido. “Eu entendo que esse caos é fruto da antiga gestão que não cumpriu com os salários acordados, mas apesar de comissionados éramos funcionários da prefeitura e não do Samuca. Precisamos pagar aluguel, alimentação, escola, medicação e outros. Há um desespero em massa, a nossa saúde está sendo afetada, pois além de estarmos em pagamento, também não temos emprego. Gostaríamos apenas de uma posição a nosso respeito”, completou.

A prefeitura informou ao A VOZ DA CIDADE que a prioridade é pagar salários dos servidores ativos concursados e aposentados. Destacou que, infelizmente não tem previsão para pagar os comissionados e que quem deixou de pagar os trabalhadores não foi o atual prefeito, mas sim o ex-prefeito Samuca Silva. Mesmo assim não é por isso que ainda não pagou, mas sim porque não tem dinheiro em caixa.