Fluminenses têm planejamento para gastos de início de ano, indica pesquisa do IFec RJ

0

SUL FLUMINENSE

Os gastos do início do ano com Imposto de Propriedade de Veículo Automotor (IPVA), Imposto Predial, Territorial Urbano (IPTU) e despesas escolares (matrícula e material didático) representam um grande impacto financeiro para as famílias. Levantamento do Instituto Fecomércio Rio (IFec RJ) mostrou que 51,8% dos fluminenses realizaram algum planejamento financeiro ao longo de 2019 para pagar as despesas iniciais de 2020.

Segundo o diretor do IFec RJ, João Gomes, a pesquisa mostrou um amadurecimento da população com os gastos futuros. “É positivo observar que pouco mais da metade dos entrevistados se planejaram, ao longo de 2019, para honrar os tradicionais gastos de início do ano. O planejamento financeiro é importante a fim de evitar empréstimos ou parcelamentos que vão encolher o rendimento mensal ao longo dos próximos meses”, destaca o diretor do Instituto Fecomércio RJ.

Recentemente, a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CDNL) e o Sistema de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), divulgou que apenas um em cada dez brasileiros possui recursos próprios para arcar com as despesas de início de ano. No caso dos dados restritos ao Rio de Janeiro, as dificuldades são semelhantes. No caso do IPTU, a pesquisa da IFec RJ mostra que entre os fluminenses que pagam este importo, mais da metade (53,9%) vão pagar de forma parcelada, mesmo com os descontos oferecidos pelo governo para pagamento antecipado.

Já dos 42,4% que pagam IPVA, 50,5% vão pagar à vista, aproveitando a redução de 3% no valor. “De forma geral, mostra que tanto em âmbito nacional ou regionalmente o trabalhador que se programa enfrenta de forma mais eficiente estes gastos que tanto oneram o orçamento a cada início de ano. Uma família com casal e dois filhos em idade escolar, por exemplo, tem gastos com matrícula, livros, uniforme, enfim. E tem o IPVA do carro da família, se for mais de um aumenta a conta. O IPTU que mesmo em alguns casos de aluguel é cobrado do inquilino. É o momento de utilizar o bom senso e priorizar o que for importante”, conta a educadora financeira Clarence Lindomar.

Para o industriário Rodrigo Mendonça, 41, quitar todas as despesas é a meta até março. “jÁ programei pagar a cota única do IPTU e também o IPVA. Separei parte dos benefícios que recebi no fim de 2019 pensando nisso. Também quero analisar com a esposa como aproveitar melhor o material escolar da nossa filha. Existem cadernos por exemplo com muitas folhas em branco. De repente, reduzimos o total de cadernos novos na lista do material escolar, não sei. Penso que a solução pra não ficar agarrado é planejar e ter firmeza porque as tentações pra gastar são muitas, ainda mais em férias”, comenta o morador de Volta Redonda.

No caso das despesas de menor valor, o estudo da IFec RJ mostrou que dos 35,2% que têm gastos com matrícula escolar, 72,2% efetuarão o pagamento à vista. Já dos 49,6% que têm gastos com material escolar, 46,4% vão optar pelo pagamento à vista, enquanto 53,6% optarão pelo parcelamento.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !