“Acredito que Rio Claro pode mudar”, diz Latino, pré-candidato a prefeito

0

RIO CLARO

Após três mandatos como vereador, um como presidente da câmara, Wilson Lima de Almeida, conhecido como Latino (DEM), se lançou como pré-candidato a prefeito nas eleições deste ano. Em entrevista ao A VOZ DA CIDADE, o atual vereador disse que ao longo de 12 anos adquiriu experiência e conhecimento na administração pública e se sente preparado para o novo cargo. “Eu acredito que Rio Claro pode mudar. É um lugar de pessoas boas, povo aconchegante, tem tudo para crescer”, afirmou.

Latino diz que problema maior de Rio Claro é a falta de vocação estabelecida. Segundo ele, há uma necessidade em investir no desenvolvimento econômico e há dois trabalhos que podem ser realizados. Como pré-candidato defenderá a luta por pequenas e médias empresas, batalhando por melhores incentivos fiscais, além do que na criação do ecoturismo. “Lídice, um dos distritos, tem um potencial enorme em turismo, com cachoeiras e trilhas. Para atrair empresas temos dois distritos que são próximos da Via Dutra, Passa Três e Getulândia, esse último ao lado do bairro Roma, de Volta Redonda, que com seu crescimento, e trabalhando articulação, será possível também termos reflexos positivos na cidade”, destacou.

Outra forma de investimento no turismo, segundo ele, é deixar própria a secretaria que hoje é de turismo, esporte e lazer. “Para conseguir recursos do estado, pode parecer simples, é preciso apenas ter uma secretaria própria de turismo. Já tive essa informação no estado e Rio Claro não consegue verbas porque não desvincula. Além disso, é preciso projetos”, disse Latino.

De acordo com o pré-candidato, Rio Claro vive um caos financeiro provocado por inúmeros parcelamentos do Funprev – o fundo de previdência da prefeitura. “Virou ao longo dos anos uma bola de neve, a cidade perde milhões por ano que poderiam ser investidos na população. A saída que vejo é lutar por uma anistia do governo federal. Existem 62 cidades do estado que tem previdência e uma dívida. Precisamos lutar para isso”, apontou.

SAÚDE E EDUCAÇÃO

Na saúde, se for eleito prefeito pretende trabalhar a saúde primária. Latino lembrou que o atual governo se gaba por investir em especialidades, o que é importante, mas deixa de lado um melhor acompanhamento das pessoas. “Um exemplo, estamos no século 21 e as unidades de saúde e o hospital não são informatizados. Funciona ainda na caneta e na ficha. Estou criando uma equipe para trabalhar um plano de governo voltado para saúde primária de ponta”, adiantou.

Na educação, o pré-candidato planeja criar um polo universitário no antigo colégio São José. Hoje, Rio Claro paga por ano R$ 1,2 milhão por ano para subvenção para alunos fazerem faculdade fora da cidade. “Podemos ter a opção dentro da nossa cidade, mas podemos também aplicar melhor esse dinheiro investindo talvez na compra de ônibus para esse transporte. Jeito tem, é preciso ideias”, afirmou Latino que pretende ainda ter projetos inovadores, como uma atenção para adultos de comunidades rurais, criando o Ônibus Escola, onde o conhecimento seria levado para pais.

Outra ação será acabar com a politicagem na educação, dando atenção especial ao funcionalismo.

Apesar dos inúmeros problemas, o pré-candidato diz que o que falta é gestão e boa aplicação de recursos. Contou que se dependesse dele não ficaria na política, mas ao longo desses anos carrega sonhos de muitas outras pessoas. “Não é fácil, tem muitos problemas, mas tudo que fiz nesses anos pelas pessoas significou muito para mim, faço de coração. A arrecadação de Rio Claro é péssima, gira entre R$ 48 milhões a R$ 100 milhões, mas dá para fazer. Tenho vontade de ver a cidade andar, por isso me coloquei como pré-candidato”, finalizou Latino.

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !