Correios: Sintect e moradores repudiam fechamento de agências

2

SUL FLUMINENSE

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), desenvolve o plano de readequação da rede de atendimento e possui uma lista de agências a serem fechadas no estado. Na região, constam duas: a agência do bairro Saudade, em Barra Mansa; e a agência do Retiro, em Volta Redonda. Os Correios informaram ao A VOZ DA CIDADE, considerar a migração das atividades de atendimento das unidades encerradas para outras agências próximas, sem qualquer impacto para a população atendida. Entretanto, o procedimento gera indignação entre usuários que temem mais dificuldade em obter os serviços e também entre os funcionários, receosos com possível perda de postos de trabalho.

Nesta sexta-feira, dia 7, uma mobilização ocorreu diante da Agência dos Correios do bairro Saudade, situada na Avenida Homero Leite, em Barra Mansa. O ato contou com a presença do diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro (Sintect-RJ) no Sul Fluminense, Esmeralci Silva. O Sintect-RJ determinou a manutenção do estado de greve nas unidades. Uma nova assembleia de greve deve ser realizada no próximo dia 13, às 18 horas, na Praça de Guerra. “É uma situação que definimos até que um consenso seja obtido a favor dos trabalhadores e também em prol das comunidades destas localidades, que utilizam os serviços dos Correios. O estado de greve está deflagrado desde o dia 4 e esperamos uma solução para este impasse, não concordamos com o fechamento de agências na região”, afirma Esmeralci, citando que durante o estado de greve todas as unidades mantêm atividade normal no atendimento ao público.

O abaixo-assinado recolhe assinaturas dos moradores do Saudade e localidades vizinhas – Foto: Fábio Guimas

O Sintect ressalta que a assembleia do dia 13 pode culminar em greve geral nos Correios, a partir do dia 14. “A reunião do Sintetct-RJ, Findect e direção da ECT será fundamental para demonstrar a insatisfação dos trabalhadores e dos clientes com essa proposta que prejudica toda sociedade, vamos lutar contra a privatização e entrega do patrimônio público”, disse Fagner Lopes, diretor do Sintect-RJ.

USUÁRIOS RECLAMAM

O presidente da Associação de Moradores do Bairro Saudade, André Paulo Rodrigues de Carvalho, elabora abaixo-assinado que já conta com mais de duas mil assinaturas de moradores do bairro e adjacências contra o fechamento da agência. “É uma agência importante para todos os moradores daqui e das localidades vizinhas. São quatro funcionários no local também, temendo perder emprego. Sem essa agência, todos terão que seguir ao centro da cidade para utilizar os serviços dos Correios. Nosso documento será entregue ao prefeito Rodrigo Drable e autoridades estaduais que poderão, junto com o sindicato, defender o interesse dos moradores”, afirma.

Para o morador Pedro Ferreira Rodrigues, 54, o prejuízo será imenso para os moradores de Barra Mansa. “Considerando não apenas o tempo como a utilidade, envolvimento que tem no bairro, seria um absurdo fechar uma agência que atende a comunidade e evita de termos que ir ao Centro. Vai aumentar o fluxo na agência do Centro”, critica. O jovem Ítalo Matheus, 19, disse que o fechamento vai influenciar no fluxo de atendimento de toda a cidade. “Quem mora aqui vai ter que ir ao Centro para realizar os serviços, isso vai complicar tudo”, lamentou.

O líder comunitário André Paulo de Carvalho critica os Correios e mobiliza os moradores – Foto: Divulgação

CORREIOS JUSTIFICAM O FECHAMENTO

A direção dos Correios informou ao A VOZ DA CIDADE QUE na terça-feira, 4, foi realizada assembleia que decidiu apenas pelo estado de greve e que as agências dos Correios estão funcionando normalmente. “Sobre o fechamento de unidades, os Correios estão trabalhando para otimizar seus recursos com foco na melhoria do atendimento aos cidadãos, visando se manterem competitivos, modernos e sustentáveis”, informa a ECT, frisando que “nesse sentido, foram realizados estudos minuciosos que permitiram à empresa realizar a readequação da rede de atendimento, considerando a migração das atividades de atendimento das unidades encerradas para outras agências próximas, sem qualquer impacto para a população atendida”.

O informe frisa ainda que “dando sequência ao processo de readequação da rede de atendimento iniciado em 2018, os Correios migrarão para outras unidades as atividades de 161 agências em todo o país, até o dia 5 de julho de 2019. No Estado do Rio de Janeiro, serão 30 agências. Os empregados dessas agências serão transferidos para outras agências ou poderão optar pelo reenquadramento de atividade. O atendimento será absorvido por outras agências próximas, sem prejuízo da continuidade e da oferta de serviços e produtos”.

Sobre as unidades que constam na lista de desativação, os Correios disseram que “as unidades que serão desativadas ocupam imóveis alugados e estão muito próximas de outras. Atualmente, os Correios possuem cerca de 11 mil pontos de atendimento em todo o país, sendo a única empresa pública presente em mais de 5.500 municípios brasileiros”.

2 Comentários

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !