Rogério Batista apresenta propostas de sua pré-candidatura a Prefeitura de Quatis

0

Quatis

O pré-candidato a prefeito quatiense pelo Partido Social Liberal (PSL), Rogério Batista de Elias, visitou as dependências do jornal A VOZ DA CIDADE para destacar pontos de sua pré-candidatura.

De acordo com ele, o município precisa de uma gestão de qualidade com profissionais técnicos trabalhando efetivamente em suas áreas. “Quatis tem pouca arrecadação para suprir suas necessidades. Hoje, precisamos de uma gestão de qualidade, para administrar melhor a parte contábil e aplicar melhores recursos nas políticas públicas”, cita.

Outras necessidades básicas apontadas por ele são educação e saúde.  “Educação é o começo de tudo, nada se faz sem ela. É preciso ter qualidade no ensino, seguir a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira bem implementada e investir no contraturno desses alunos com atividades extracurriculares”, destaca.

Para a área da saúde Rogério destaca que é preciso ter um melhor andamento dos tratamentos e ter melhores formas de prevenção a doenças. “Com poucos recursos, dependemos dos governos federal e estadual. Por isso apresentar bons projetos é fundamental para obtenção de recursos para investimento na saúde. É preciso fazer do município uma empresa privada, onde os lucros são a satisfação dos munícipes através de bons serviços prestados”, destaca, informando que também é preciso investir no produtor rural, fomentando o setor.

Em tempo de coronavírus, economia estagnada, surgem novos desafios para os pré-candidatos. “O gestor que assumir o município em 2021 terá muitos desafios pela frente, a começar pela economia. É preciso ter uma política mais aberta, transparente, é preciso ter o idealismo de um melhor município. A política é um grande instrumento de ajuda ser for feita de forma responsável, com sabedoria podemos crescer”, destaca.

IMPUGNAÇÃO

De acordo com ele, há boatos no município de que sua candidatura está impugnada por contas não aprovadas da eleição anterior. “Em 2016 concorri por um outro partido. Foi acertado de que as despesas de campanha seriam pagas pelo partido, o que não aconteceu. Quando fiz a prestação de contas, tive que pedir um empréstimo para pagar com recursos próprios, o que não foi aceito pela justiça eleitoral, por isso a não aprovação. Mas em momento algum tive impugnação e afirmo que não estou inelegível e posso concorrer ao cargo”, conclui, informando que o nome do pré-candidato vice ainda está em estudo.

error: Conteúdo protegido !