‘Projeto Túnel do Tempo’ conecta passado e presente

0

BARRA MANSA

Com o objetivo de integrar disciplinas e mobilizar os alunos na construção de uma viagem no tempo, o Colégio Estadual Baldomero Barbará realizou o ‘Projeto Túnel do Tempo’. Neste ano, acontece a segunda edição e envolve as disciplinas de português, matemática, produção de texto, filosofia, sociologia, história, inglês, física, biologia e educação física.

De acordo com a professora e organizadora do projeto, Keittimere Justino, o objetivo é promover uma visão abrangente do período compreendido entre os anos 60 e o século XXI com a abordagem de aspectos como: manifestações artísticas (literatura, música, artes plásticas, cinema), inovações tecnológicas e científicas, contexto sociocultural e histórico entre outros. “Após uma pesquisa ampla, os alunos dos terceiros anos do Ensino Médio, transformam a sala de aula em um retrato da década, com explanações acerca da pesquisa e apresentação artística, além da caracterização com roupas e acessórios da época. Foram mostrados os vocabulários, músicas, alimentação, costumes e comportamentos da época”, destaca a professora de português e produção de texto.

A ideia, de acordo com ela, nasceu do estresse de estudos provocado pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “O exame cobra o aspecto cultural e histórico, então, esta foi uma forma que encontramos para eles relaxarem e estudarem ao mesmo tempo, assimilando o conteúdo de forma lúdica, definimos os temas e os alunos trabalharam livremente. Pessoalmente, os alunos puderam perceber a conexão entre passado e presente”, destaca.

Para a diretora da instituição, Regina Dornas, isso mostra a vivência da escola. “A escola tem que ser viva, participar, interagir. Os alunos têm que ser autores do processo e do conhecimento”, avalia, informando que 160 alunos participaram ativamente do projeto que englobou outros 700.

PROJETO BULLYING E CYBERBULLYING

Paralelo ao evento, o colégio também realiza o Projeto Bullying e Cyberbullying, na ocasião, alunos participam de rodas de conversa, prestam depoimentos, assistiram vídeos e desenvolveram trabalhos manuais. “Os alunos confeccionaram histórias em quadrinhos, desenhos, camisas. Deram seus depoimentos e promoveram peças de teatro. A escola precisa ser atuante e ajudar e orientar na aceitação pessoal, e em outros diversos problemas que o aluno possa estar passando’, destaca a professora coordenadora do projeto, Deise Crisstina de Paula.

 

 

 

error: Conteúdo protegido !