Polícia Civil prende mulheres suspeitas de aplicar golpes de falso curso técnico em Resende

0

RESENDE

Agentes da 89ª Delegacia de Polícia Civil (DP) coordenados pelo delegado titular, Ronaldo Aparecido Ferreira Brito prenderam na segunda-feira, dia 18, duas mulheres, uma de 34 e outra de 35 anos, suspeitas de aplicarem golpe de falso curso técnico a distância. O flagrante aconteceu após vítimas denunciarem a Polícia Civil que pagaram pelo curso técnico e não receberam as senhas para acessarem as aulas. As mulheres foram presas em um prédio comercial do bairro Campos Elíseos, principal Centro Comercial da cidade.

De acordo com o delegado Ronaldo, uma das vítimas denunciou que pagou R$1.800 por dois cursos técnicos e, após cinco dias, não recebeu os logins e as senhas para acessar as aulas. “A vítima relatou que há dez dias realizou dois cadastros para cursos técnicos para ele e a esposa. Passados os cinco dias úteis solicitados pelo grupo criminoso para enviar o login e senha, a vítima percebeu ter caído em um golpe”, informou Ronaldo Aparecido.

Brito ainda contou que as mulheres faziam anúncios pelo Facebook utilizando o nome de uma escola especializada em ensino técnico. “AS vítimas eram iludidas inicialmente por anúncio vinculado no Facebook, onde é ofertado curso técnico gratuito. Em seguida, após realizarem cadastro e incluírem o número de telefone, recebem no WhatsApp, mensagem de que foram selecionados e que deveriam comparecer em uma aula inicial. Nesta aula inicial, que é realizada nas cidades de cadastro das vítimas, as autoras ministram uma palestra e solicitam que as vítimas paguem pelo material didático, com descontos exclusivos, recebendo tais valores em máquinas de cartão cadastradas em nome e contas próprias”, relatou o delegado.

As investigações, de acordo com Ronaldo Aparecido, revelaram que as mulheres são de São Paulo e estariam no Estado do Rio de Janeiro, aplicando o golpe em Niterói, Itaboraí, Belford Roxo, Angra dos Reis, Duque de Caxias, Paracambi, Seropédica, Nilópolis, São Gonçalo, Maricá, Itaboraí, Nova Iguaçu, além de Resende. “As autoras foram de São Paulo para o Rio de Janeiro de avião. Em seguida, alugaram um Jeep Renegate e passaram a aplicar o mesmo tipo de golpe em diversas cidades do Estado. Com elas foram apreendidas diversas fichas cadastrais de pessoas residentes em Niterói, Itaboraí, Belford Roxo, entre outros municípios. Até o momento foi possível levantar que mais de 200 pessoas teriam sido lesadas. Até o momento, mais de R$1 milhão teria sido movimentada pelas mulheres no período que estavam no Estado do Rio”, informou

A dupla foi autuada em flagrante por estelionatário. Elas serão apresentadas na Cadeia Pública de Volta Redonda para audiência de custódia.