Patrulha da Mulher acompanha suposta agressão contra mãe e três filhos no Ano Bom

0

BARRA MANSA

No final da tarde de ontem, a equipe da Patrulha da Mulher de Barra Mansa acompanhou e encaminhou para o Conselho Tutelar um suposto caso de violência doméstica contra uma mãe e seus três filhos (um, seis e dez anos) no bairro Vila Orlandélia. Ninguém foi preso, mas foi realizada uma medida protetiva contra o pai das crianças, que deverá quando solicitado se apresentar à Justiça. O filho do meio do casal teria tido a mão queimada por uma prancha de cabelo.

Segundo informações obtidas pelo A VOZ DA CIDADE, a equipe esteve na Vila Orlandelia  após receber informações de que um homem estaria agredindo a família, principalmente a companheira e o filho de seis anos. O suspeito não estava em casa e a patrulha foi recebida pela mulher, que negou inicialmente a denúncia. Na abordagem, uma criança chorou insistentemente, o que chamou atenção dos agentes, que insistiram na conversa com a mulher, que segundo eles parecia assustada. Ela, segundo a equipe, acabou assumindo o fato.  “Um dos filhos da vítima, um menor de seis anos, havia sido agredido, e na nossa presença se recusava a retornar para dentro de casa, gritando e esperneando, dizendo estar com medo. Como não foi possível efetuar o flagrante, acionamos o conselho tutelar para retirar ela e as crianças da residência”, informou a equipe, dizendo que a família foi encaminhada à Defensoria Pública, onde foi apresentado provas coletadas pela guarnição e solicitado a medida protetiva com afastamento do lar e a provisão de alimentos que foi deferida pelo Juiz William Satoshi.

Feito diligência a residência e a vários locais que o suspeito frequenta, em companhia de uma Oficial de Justiça Claudia Cristiano, o mesmo não foi encontrado. “No momento estão orientados a qualquer aproximação do agressor ou seja descumprimento da medida protetiva, solicitar apoio no telefone da patrulha ou da polícia militar”, disse, explicando que há cerca de um mês, a mulher já havia registrado que o homem havia batido a sua cabeça na parede. “Existe registro de violência doméstica em seu desfavor também em 2017”, completou a equipe.

Em caso de violência doméstica, a vítima pode acionar a Patrulha da Mulher por meio do número 9 8147 9229.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !