Empresa vai apresentar projeto de parceria ambiental com a prefeitura de Volta Redonda

0

VOLTA REDONDA

Secretários municipais de Volta Redonda e funcionários da Procuradoria Geral do Município (PGM) se reuniram nesta semana com representantes da empresa Dr. Catador para discutir parcerias na área ambiental, visando a instalação e produção de adubo orgânico e tratamento de resíduos provenientes de podas de árvores. Participaram da reunião os secretários de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Sérgio Sodré, de Infraestrutura, José Jerônimo, e de Meio Ambiente, Miguel Arcanjo.

O adubo poderá ser usado em plantas e hortas nas escolas, e para atender os cerca de 200 produtores rurais do município, evitando que este material, galhadas e restos de alimentos sejam levados para o Aterro Sanitário. O objetivo é fortalecer as políticas públicas de uma cidade sustentável, saber o que fazer com o seu lixo e transformá-lo em recursos para o uso da comunidade.

Segundo o secretário Sérgio Sodré, esta segunda reunião ocorrida na sede da secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Smdet) antecede a concretização de uma parceria no setor com a empresa do ramo, criada há cerca de três anos, e que desenvolve várias ações para o meio ambiente na cidade.

“O prefeito Neto determinou que a secretaria iniciasse essa discussão sobre o tratamento de resíduos orgânicos e reaproveitamento das podas. A empresa nos procurou para apresentar uma proposta que será formalizada em breve, e busca uma contrapartida do município. Vamos estudar a viabilidade do projeto de acordo com o interesse ambiental e de sustentabilidade do município”, explicou Sodré.

A empresa já faz um trabalho no centro de educação ambiental na área verde de um importante clube social na Vila Santa Cecília, em uma área de 1.000 m2 que serve também como base para o projeto piloto, modelo que a empresa pretende apresentar à prefeitura nos próximos dias. O objetivo é definir o que será preciso, a viabilidade técnica do projeto que passará pela aprovação da prefeitura. Os secretários participaram para conhecer as informações que estarão na proposta por escrito e esclarecimento de duvidas.

“Acreditamos que em 15 dias estaremos apresentando um projeto pronto, viável, para a coleta e compostagem urbana. Nada de projeto faraônico. O Brasil precisa avançar nesse projeto de compostagem, reaproveitamento de podas, porque 98% do lixo que pode virar recursos no país se perdem. A galhada produz adubo de qualidade. Volta Redonda pode se destacar no cenário nacional com o tratamento de resíduos de podas e orgânicos”, disse Roberto Guião, um dos idealizadores da empresa. Ciro Moura, membro da empresa, e o diretor da UFF, Afonso Aurélio, também participaram deste encontro técnico.

O secretário de Meio Ambiente, Miguel Arcanjo, citou que há quatro anos a cidade não recebe um trabalho preventivo de podas nas suas áreas verdes e urbanas, e que terá muito trabalho para a prefeitura realizar.

error: Conteúdo protegido !