Comissão de Indústria Naval da Alerj busca retomada do setor com o Governo do Estado 

0

ESTADO

Importante vocação econômica do Estado do Rio de Janeiro, a indústria naval vive um momento de crise, como fechamento de estaleiros e pouca demanda por mão de obra. Para abrir um canal de comunicação com o Governo do Estado, a Comissão Especial de Indústria Naval, de Offshore e de Petróleo e Gás se reuniu nesta terça-feira (14), no Palácio Guanabara, com o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Leonardo Soares.

Durante a reunião, foram apresentadas as ações do Governo do Rio para a retomada do setor. “Estamos caminhando, junto com o Ministério das Minas e Energia, buscando novas oportunidades para o mercado do Rio de Janeiro, como energia eólica offshore, leilões de gás e termoelétricas. Queremos colocar a nossa indústria em consonância com a indústria contemporânea, com processo de requalificação e tecnologias emergentes”, afirmou o secretário Leonardo Soares.

Para a deputada Célia Jordão, presidente da Comissão, o Governo do Estado precisa somar forças para alavancar a área. “Foi um primeiro contato. Vamos estreitar ainda mais as nossas relações de trabalho para que nós possamos avançar e efetivamente alavancar esse segmento da economia no Estado do Rio de Janeiro. Traçamos uma linha de trabalho com caminhos para recuperar o parque naval do Rio de Janeiro”, destacou a parlamentar.

Convidado para participar da reunião, Mauro Osório, presidente da Assessoria Fiscal da Assembléia Legislativa, detalhou em nota técnica o potencial do sistema produtivo de petróleo e gás no Rio de Janeiro, as implicações para o desenvolvimento regional e os impactos negativos na economia. “A ação para a retomada da indústria naval ainda está muito incipiente. Hoje,  80% dos fornecedores estão fora do Rio de Janeiro. É necessário que haja uma política no Brasil para a questão do ICMS e do petróleo”, alertou Osório.

A revitalização da Bacia de Campos, por meio do Promar, também foi pauta das discussões, com a possibilidade de geração de 30 mil novos postos de trabalho. O Governo do Estado destacou que busca ainda novas oportunidades com a cabotagem e embarcações de pequeno porte como forma de diversificar a economia do Rio de Janeiro, aproveitando a infraestrutura existente para gerar empregos.

O relator da comissão, deputado Felipe Peixoto (PSD), também pediu que o governo seja mais ousado e compare os empregos no descomissionamento (desmobilização de equipamentos) e na construção de navios e plataformas: “É inadmissível perdemos o potencial que o estado tem nesse setor. Temos que aproveitar nossa estrutura, mas é importante investir em inovação. Quais tecnologias podemos trazer? Senão, vamos ficar com embarcação velha, desmobilizando só para virar matéria-prima”, pontuou Peixoto.

 

 

 

error: Conteúdo protegido !