Carteiros de Resende entram em greve reivindicando melhor condição de trabalho

3

RESENDE

Os carteiros da Agência dos Correios de Resende estão em greve, paralisação prevista para encerrar somente na segunda-feira, dia 18. Nesta quarta-feira, dia 13, os funcionários realizaram um ato, na Praça da Concórdia, no Centro, com o apoio de representantes regionais do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro (Sintec-RJ) comunicando a greve que tem como principal reivindicação obter melhores condições de trabalho na unidade de Resende, além de receber o reforço de mais profissionais para integrar o quadro de funcionários. Segundo eles, devido aos poucos trabalhadores, o atraso nas entregas gera intervalos de até dois meses, o que os tornam alvo de críticas da população.

Resende conta com 22 funcionários no setor de distribuição de correspondências, o que seria insuficiente segundo os trabalhadores que reclamam da alta demanda regional. A Agência dos Correios de Resende é responsável ainda pelas cidades de Itatiaia e Porto Real, segundo o Sintec-RJ, a unidade precisaria de contar com o total de 49 funcionários e instalações amplas para comportar a remessa de encomendas e também permitir que os profissionais despachem com agilidade. Para as entregas, os carteiros pedem mais veículos e a reforma dos existentes, como carros e bicicletas.

Representantes do Sintec-RJ acompanharam o manifesto dos carteiros, nesta manhã, em Resende

A categoria reitera que a greve não tem qualquer relação com direitos trabalhistas como salário e benefício, mas sim o pedido de que os Correios contratem mais profissionais e transfira a Agência de Resende para outro imóvel, condizente com a alta demanda de correspondências. “A região cresceu e o total de carteiros só reduz, principalmente pela aposentadoria voluntária dos mais antigos, e a unidade é pequena para concentrar tantas correspondências, encomendas. Em dias de chuvas é preciso paralisar tudo e proteger as correspondências. Produtos do sedex ficam no chão, o profissional seleciona tendo de se abaixar, arrumar, enfim. A categoria pede melhorias urgente, principalmente mais mão-de-obra”, frisa Esmeralci Silva, diretor do Sintec no Sul Fluminense.

Atualmente, o único serviço em atividade na Agência Resende é a distribuição de mercadorias postadas via Sedex, ainda assim dos remetentes do estado do Rio de Janeiro, pois as oriundas de outros estados não são remetidas para a unidade que não tem espaço físico para armazenar, segundo o Sintec.

O prazo do dia 18 foi estipulado pela categoria mediante a previsão da direção geral dos Correios em tentar atender o apelo da categoria parcialmente, e alocar nove carteiros terceirizados para a Agência Resende. A categoria negocia, ainda, por intermédio do Sintec, que a direção dos Correios não abatam da féria dos grevistas os dias paralisados. Durante a greve, a retirada de correspondência do Sedex ocorre na sede da Agência Resende, de segunda a sexta-feira, entre 13h e 17h. A reportagem entrou em contato com a direção dos Correios, em busca de informações sobre a pauta de reivindicação da categoria, porém não recebeu retorno até o momento desta postagem

 

3 Comentários

  1. No bairro Freitas soares em porto real nao ha entrega de correios a muito tempo…detalhe , o morador gasta tempo…dinheiro com passagem ou combustivel pra ir buscar e quando chega e mal atendido e eles praticamente se negam a entregar alegando que não tem pessoal para separar .Ai pergunto o que fazer??
    Total descaso …falta de respeito.

  2. Para mim que moro em porto real, os carteiros podem continuar a greve a vida toda, pois não nos atende a anos. Ta na hora de privatizar este empresa estatal assim como a Petrobras, entre outras estatais. Todas nos atende mal. Privatizar já!

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !