Barra Mansa registra segunda vítima em acidente envolvendo trem

4

BARRA MANSA

Na manhã de hoje um homem, identificado como Igor da Silva, de 35 anos, foi atropelado por um trem no bairro Vila Maria. Ele teve fratura na perna esquerda e precisou passar por um procedimento cirúrgico. No final de semana, ainda na cidade, uma mulher também chegou a colidir com uma condução, no Centro, ocasião em que perdeu os dois pés. O A VOZ DA CIDADE fez contato com a equipe de comunicação da MRS, que afirmou que “do ponto de vista da operação ferroviária, estava tudo perfeito”.

O fato de hoje aconteceu na travessa Nicácio Knupp. O homem foi socorrido por uma equipe do Corpo de Bombeiros e foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, que não informou seu estado é estável.

NO SÁBADO

Uma mulher, ainda não identificada, precisou amputar os pés após um acidente envolvendo um trem nas proximidades do Parque Centenário, no Centro, na noite de sábado, dia 27.

Ela foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada para a Santa Casa de Misericórdia, onde permanece internada e precisou passar por um procedimento cirúrgico.

NOTA DA MRS

Em contado com a equipe da MRS, a mesma afirmou ao A VOZ DA CIDADE que lamenta confirmar as ocorrências de Barra Mansa. “Do ponto de vista da operação ferroviária, estava tudo perfeito. Todas as providências para evitar ambos os acidentes foram tomadas (acionamento de buzina e aplicação dos freios de emergência)”, defendeu.

Sobre as recomendações de segurança, a MRS explica que a regra é simples: “Sempre nos perguntam sobre recomendações ou dicas para a segurança das pessoas que vivem ou transitam por áreas ferroviárias. A dica principal é muito simples: siga a orientação das placas afixadas nas passagens em nível, pare antes de cruzar a ferrovia, olhe para os dois lados e escute”, avisa, lembrando que todos podem ajudar na conscientização, disseminando alguns cuidados especiais, como: manter distância mínima de três passos largos com relação aos trilhos; pessoas idosas ou com dificuldade de mobilidade exigem atenção especial; crianças não podem brincar na área da ferrovia e devem estar sob supervisão constante de seus responsáveis nas travessias; E não tente atravessar a linha falando ao celular, checando mensagens ou usando dispositivos de áudio de qualquer tipo.

Segundo a MRS, o uso de álcool e drogas tem sido uma causa cada vez mais frequente de acidentes envolvendo pessoas. Em alguns municípios, este índice chega a representar 20% do total de acidentes.

Eles explicam ainda que um trem pesa entre três mil toneladas (vazio) e 15 mil toneladas (carregado) e, por isso, pode exigir algo entre 300 e um mil metros desde a aplicação do freio de emergência até sua parada completa. Por seu peso, um trem não freia como um automóvel. Por isso, mesmo quando é possível identificar um obstáculo ou pessoa cruzando a linha inadvertidamente, na maioria das vezes não é possível evitar o impacto.

“A comunidade pode ajudar a garantir a segurança da ferrovia. Ao observar qualquer fator de risco, ou para reportar alguma irregularidade, o contato com a MRS pode ser feito pelo telefone 0800-979-3636”, finaliza.

 

4 Comentários

  1. Moro aqui no bairro vista Alegre , trânsito pelas travessias ferroviaria.E já observei que as máquinas não fazem mais a sonora como antes .houve colisão com um carro a pouco tempo e nesse dia não houve alerta que a máquina estava se aproximando
    Eu parei porque já é o meu abito de observar, já que eu nasci aqui. Acredito que falta um pouco mais de acionamento dos efeitos sonoros , visto que são mais omenos 7 atravessias em Vista Alegre e duas delas transita crianças de colégio. Efeito sonoro é importante pra alertar .

  2. Não era para ter sido mais assim no meio da cidade poderiam ter colocado em.pratica o projeto de subterrâneo ou suspender e povo passar embaixo está demais mesmo. É esperar um tempão para a travessia tb não dá

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !