Angra dos Reis debate propostas para desenvolvimento sustentável

0

ANGRA DOS REIS

Angra dos Reis sediou nesta quarta-feira (19) a Jornada dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, uma iniciativa do Governo do Estado junto ao Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat). O evento marcou o começo de uma busca por soluções criativas focadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sendo que as melhores propostas serão premiadas durante os eventos do G20, em novembro.

O evento aconteceu a partir das 9h, no Centro de Estudos Ambientais (CEA), reunindo representantes do ONU-Habitat, do Governo do Estado, da Prefeitura de Angra e de outros municípios, além de profissionais de diversas instituições ligadas à temática. Na primeira fase da jornada, a equipe da iniciativa percorrerá 13 cidades do estado para que elas possam compartilhar experiências e boas práticas no tema. Angra dos Reis e Paraty, municípios da região hidrográfica I (Baía da Ilha Grande), foram os convidados desta edição.

– Estar junto do ONU-Habitat significa mais crescimento e desenvolvimento para Angra. Foi um evento importante porque estamos falando em preservação e principalmente sustentabilidade, que é o carro-chefe. Temos que integrar os municípios porque cada um tem a sua responsabilidade dentro dessas ações. É fundamental preservar nossas belezas naturais e garantir a continuidade delas– explica a superintendente do Fundo Municipal do Meio Ambiente, Alba Valéria, do Instituto Municipal do Ambiente de Angra dos Reis (IMAAR).

A iniciativa, organizada por meio da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade e da ONU-Habitat, é voltada aos servidores e agentes estratégicos nos 92 municípios fluminenses, e também integra o projeto “Rio Inclusivo e Sustentável”, parceria entre as instituições que visa fortalecer a resiliência urbana e climática em todo o estado do Rio de Janeiro.

De junho a novembro, os municípios inscritos na iniciativa irão ser convidados a construir suas propostas a partir de capacitações sobre temas relevantes relacionados a agendas globais de desenvolvimento, metodologias da ONU, casos de sucesso e troca de experiências entre as cidades. As melhores propostas serão selecionadas por uma banca avaliadora e premiadas durante a programação do G20, em novembro, na cidade do Rio de Janeiro.

Ciclo de visitas às regiões do estado, a primeira etapa da Jornada do Desafio dos ODS começou no dia 10 de junho, em Duque de Caxias, e segue até julho. Nesse período, as oficinas serão realizadas também em Resende, Paraíba do Sul, Mangaratiba, Piraí, São João da Barra, Itaperuna, Macaé, Cabo Frio, Nova Friburgo, Itaboraí e Petrópolis.

– Nesta primeira etapa, nosso objetivo é percorrer o estado em polos regionais para divulgarmos e também incentivarmos a participação de todos os municípios. Além de discutirmos com mais profundidade os temas ligados aos ODS, educação ambiental climática e metodologias da ONU, teremos um workshop para a construção das revisões locais voluntárias dos municípios – pontua a coordenadora de Programas do ONU-Habitat, Leta Vieira.

Etapas seguintes 

 Após a Jornada do Desafio dos ODS, será realizado o Laboratório Virtual, uma série de encontros virtuais com temáticas relativas à localização dos ODS, mudanças do clima, resiliência urbana, redução de riscos de desastres e G20, apresentação de casos de sucesso e apoio para a escrita das propostas.

O terceiro e último ciclo será a premiação das boas práticas no G20 Social. Depois de submeterem suas propostas para avaliação, os municípios serão avaliados por uma banca e terão suas iniciativas integrando um banco de boas práticas, além de serem apresentadas durante a premiação.

Deixe um Comentário