Águas das Agulhas Negras amplia o monitoramento das unidades operacionais em Resende com sistema de video wall em tempo real

0

RESENDE

A empresa Águas das Agulhas Negras, concessionária responsável pelo saneamento ambiental do município, modernizou as ferramentas do Centro de Controle Operacional (CCO) para o monitoramento dos sistemas de distribuição de água, coleta e tratamento do esgoto sanitário. Como parte das ações de melhoria, foram adquiridos quatro novos aparelhos televisores de 55 polegadas para compor um vídeo wall. A mudança permite o melhor acompanhamento do fluxo de operação com visualização ampla das unidades de controle, por meio de monitoramento, e possibilita ações operacionais em tempo real.

Segundo a empresa, o sistema supervisório de tratamento e distribuição de água é composto por sete Estações de Tratamento de Água (ETAs), 12 elevatórias, cinco reservatórios e seis boosters. O controle é realizado em grande parte por telemetria, ou seja, permite a medição remota e a comunicação de informações entre sistemas, através de dispositivos de comunicação sem fio. Isso agrega maior agilidade nas tomadas de decisões da operação, seja para necessidade de manobras de redes, localização de vazamentos ou para identificar antecipadamente problemas em equipamentos sem interromper o tratamento e a distribuição da água.

O monitoramento é aprimorado com o novo investimento da concessionária – Divulgação

Com o sistema automatizado, além do acionamento remoto, é possível visualizar as medições elétricas do inversor de frequência, equipamento que protege e controla a bomba, como: tensão, corrente elétrica, rotações por minuto (rpm), status de funcionamento (ligado/desligado) para controle e acionamento das bombas, como também a disposição ou não da energia elétrica nos locais.

A equipe de automação da concessionária trabalha na substituição da tecnologia utilizada em regiões mais afastadas da área urbana, por conta da limitação do sinal dos Serviços Gerais de Pacotes por Rádio (GPRS) e falta de acessibilidade ao sistema de rádio presente. O projeto, que já está em desenvolvimento junto à equipe de Tecnologia da Informação corporativa, prevê a utilização da internet com um sistema de criptografia VPN para que os dispositivos estejam dentro da rede do Grupo, visando maior segurança e controle operacional. Com a mudança, as ETAs Fazenda da Barra e São Caetano serão automatizadas.

Os profissionais também atuam na expansão da automação para as unidades operacionais do sistema de esgoto sanitário. O projeto está em fase inicial e foi planejado para acontecer em etapas gradativas, suportando o orçamento anual. “Foram adquiridos 17 painéis com tecnologia superior para substituir os que operavam as elevatórias de esgoto consideradas principais do sistema. Dos 17, nove painéis já estão sendo monitorados pelo CCO, contendo as informações disponibilizadas pelo inversor de frequência (Corrente, Tensão, RPM, Status), e também as informações de funcionamento dos transmissores de nível que atuam no acionamento e funcionamento das elevatórias de esgoto.”, afirma o técnico de Automação da concessionária, Luiz Guilherme Cevese.

Segundo Cevese, a próxima etapa do projeto é finalizar a adequação do monitoramento dos oito painéis restantes e fazer a aquisição de mais 20 painéis para dar andamento ao projeto, que argumenta estar melhorando a resposta da empresa a qualquer problema de operação e diminuindo a incidência de manutenção nas bombas submersíveis.

error: Conteúdo protegido !