Volta-redondense é tetracampeão com a Seleção Brasileira Sub-17

0

VOLTA REDONDA

ANDRÉ MATHEUS

[email protected]

No último domingo, 17, a Seleção Brasileira Sub-17 venceu o México pelo placar de 2 a 1 e conquistou o tetracampeonato da Copa do Mundo da categoria. No Estádio Bezerrão, no Gama (DF), a seleção canarinho saiu atrás no placar diante do México, mas virou com Kaio Jorge e Lázaro. E nesse importante capítulo da história está registrado o nome do volta-redondense, Gabriel Noga, de 17 anos, que é jogador do Flamengo.

O atleta, que desembarcou no Rio de Janeiro na segunda-feira, dia 18, mal teve tempo de comemorar a conquista do mundial e já se reapresentou ao Flamengo para a disputa da final do Campeonato Carioca Sub-20 contra o Vasco. A partida acontece hoje às 15h30min, em São Januário.

Falando com exclusividade ao A VOZ DA CIDADE, o tetracampeão mundial contou um pouco da emoção pela conquista. “É uma sensação indescritível, o primeiro de muitos sonhos que tenho para minha carreira que foi realizado”, resumiu o zagueiro.

Ele falou ainda sobre o ambiente dentro da seleção e a garra do grupo que estava focado em conquistar mais um título para o Brasil. “Foi uma competição de alto nível, que conseguimos impor nosso futebol, nossas maneira de jogar e garantir esse tão sonhado título. Estávamos em um ambiente muito alegre, de muita união. A gente via um no rosto do outro a vontade de ganhar, de estar servindo a seleção do país. Isso nos deixou bastante orgulhosos e com muito mais vontade de vencer”, comentou.

Sobre o futuro Gabriel foi bem direto. Ele disse estar concentrado no momento e pensando apenas nas duas finais que tem pela frente com o Flamengo. “Agora é focar nessa reta final de campeonato e conquistar mais títulos. Ainda temos pela frente nesse ano Campeonato Carioca, o Brasileiro Sub-20 e a Super Copa”, comentou o zagueiro Noga, avisando que a equipe está motivada para buscar todos esses títulos.

Bastante emocionado, o pai de Gabriel, Moacir Noga, que mora em Volta Redonda, disse que o orgulho da família está no nível máximo. “É uma emoção indescritível, por ver o filho de apenas 17 anos conquistar o mundo é maravilhoso, pois é o sonho de qualquer atleta de futebol. Para nós, da família e também para os amigos dele é um momento de muito orgulho. Hoje temos a certeza de que tudo que passamos desde o início da carreira dele na escolinha de futsal do Serviço Social da Indústria (Sesi), com apenas quatro anos, as inúmeras viagens de Volta Redonda para o Rio e vice versa, almoço dentro do carro e muitas outras coisa, valeram a apena. Ele conseguiu realizar um de seus sonhos. Tenho certeza que esse é o primeiro de muitos”, concluiu o orgulhoso pai.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !