Transações bancárias pelo celular conquistam os correntistas

0

SUL FLUMINENSE

Utilizar os terminais das agências bancárias fisicamente ou mesmo acessar sua agência e conta através do internet banking através de computadores perderam a preferência dos correntistas brasileiros. De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o total de transações bancárias feitas pelos smartphones cresceu 24% em 2018, em relação ao ano anterior. Os aplicativos dos bancos tornaram-se o canal preferido dos brasileiros para fazer pagamento de contas, transferências de dinheiro e outras transações financeiras. O aumento na quantidade de transações com movimentações financeiras por celular chegou a quase 80% no ano passado. Atualmente, de cada 10 transações, com ou sem movimentação financeira, seis são feitas por meios digitais (celular ou computador).

Na região, o total de correntistas que optam pelo uso dos aplicativos é alto conforme percepção dos gerentes das agências, cada vez mais antenados com a tecnologia e também orientados a indicar as novas ferramentas dos bancos para seus clientes. “É uma comodidade acessível a todos. Afinal, quem nos dias atuais não possui e utiliza um celular?”, frisa a gerente Amanda Batista, de uma agência bancária de Resende. Segundo a Pesquisa de Tecnologia Bancária 2019 da Febraban, divulgada nesta terça-feira, 7, em 2018, foram 2,5 bilhões de pagamentos de contas e transferências, incluindo DOC e TED, realizados por meio do mobile banking (celular), que, pela primeira vez, superou o internet banking na preferência do brasileiro nessas operações.

Esse movimento é reflexo da praticidade de uso, da segurança e da conveniência oferecidas pelo canal, que foi responsável por 40% do total de operações bancárias efetuadas no ano passado – levando-se em conta as transações feitas em agências, via internet banking, autoatendimento, pontos de venda no comércio, correspondentes no país e pelo telefone. Para efeito de comparação, em 2014 o mobile banking respondia por apenas 10% das operações. “Eu acesso minha conta e faço transações através do celular frequentemente. Acho rápido e prático, bastando o conexão com a internet. Para consultas e transferências me facilita a rotina de pagamentos, controle de saldo. Estou ensinando minha esposa a manusear, ela não confia no sistema e ainda insiste em fazer transações enfrentando filas em terminais bancários, por exemplo”, comenta o empresário Ricardo da Silva, com negócios no Sul Fluminense e Sul de Minas Gerais. “Os funcionários ficam felizes quando consigo transferir pagamentos, por exemplo, com mais agilidade”, reitera.

PAGANDO CONTAS E TOMANDO CRÉDITO

De acordo com o estudo da Febraban, o número de transações bancárias com movimentações financeiras cresceu cerca de 33%. O avanço de 80% na quantidade de transações com movimentações financeiras por celular foi puxado, principalmente, pelo crescimento do número de contas a pagar por esse canal (que chegou a 1,6 bilhão, em 2018) e de 119% na quantidade de DOCs, TED e outras transferências de quantias em contas bancárias (862 milhões).

Outro dando apontado no estudo é que através do mobile banking o brasileiro também contratou mais crédito: foram 359 milhões de contratações em 2018, com aumento de 60% em relação ao ano anterior. Já as transações com movimentação de dinheiro em contas bancárias realizadas pelos POS (pontos de venda no comércio, as chamadas maquininhas) ultrapassam aquelas realizadas nas agências, o que reforça a tendência mundial do uso dos canais eletrônicos.

Para o diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da Febraban, Gustavo Fosse, a opção pelo mobile ajudou a manter a tendência de alta no total de transações bancárias em todos os canais, que saltaram de 71,8 bilhões em 2017 para 78,9 bilhões, no ano passado. “A facilidade em poder resolver questões financeiras apenas utilizando o celular é um ponto-chave desse crescimento”, afirma. Ele acrescenta que o incremento de transações com movimentação financeira por mobile banking atesta que o cliente se sente cada vez mais seguro para movimentar seu dinheiro por esse canal.

CONTAS DIGITAIS

O levantamento registrou, também, um crescimento de contas abertas por meio do mobile banking: foram 2,5 milhões em 2018 ante 1,6 milhão no ano anterior. O internet banking não fica atrás nesse quesito, já que registrou a abertura de 434 mil contas no ano passado, bem acima das 26 mil, em 2017. Também houve um forte incremento de 60% na contratação de crédito por aplicativos de celular; e os investimentos e aplicações feitas pelo mesmo canal cresceram 36%.

A Pesquisa também aponta que as comunicações feitas digitalmente também cresceram de maneira considerável. As interações feitas entre clientes e bancos por web-chat tiveram um crescimento de 364%, e chegaram a 138,3 milhões no ano passado. Já os atendimentos via chatbot passaram de 3 milhões, em 2017, para 80,6 milhões no ano passado, ou seja, aumentaram 2.585%.

METODOLOGIA

A Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária é realizada há 27 anos pela Federação Brasileira de Bancos. O levantamento foi desenvolvido em parceria com a Deloitte e contou com a participação de 20 bancos, que representam 91% dos ativos dessa indústria no País. Um questionário online foi aplicado às instituições financeiras e, também, foram feitas entrevistas com especialistas; dados públicos foram consolidados e pesquisas internacionais da Deloitte foram usadas para ampliar e aprofundar a análise dos dados. Os dados completos da pesquisa pode ser acessados clicando em Pesquisa Febraban.