Projeto Busca Ativa Escolar é premiado pelo Unicef

0

ANGRA DOS REIS

O projeto Busca Ativa Escolar visa identificar e levar de volta à escola crianças e adolescentes que estavam fora da unidade escolar. Por conta do trabalho e emprenho, a iniciativa foi reconhecida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip),Cidade Escola Aprendiz.

No ano passado e neste ano, a meta estabelecida era de 1.053 alunos e o município superou, levando de volta para a escola 1.179 estudantes.

A placa, com o reconhecimento público, foi entregue na última segunda-feira ao prefeito Fernando Jordão e representantes da secretarias de Educação, Saúde e Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, que estiveram envolvidas diretamente com a conquista.

De acordo com a assessora da Unicef, Júlia Gomes Ventura, que coordena o Busca Ativa Escolar, acompanhada da gestora do Escola Aprendiz, Cíntia Soares, a intenção é a permanência do trabalho. “Este é um reconhecimento público pelo trabalho intersetorial realizado pela prefeitura para levar as crianças novamente para a escola. Nossa expectativa é de que este trabalho permaneça”, destaca Júlia.

A secretária de Educação, Stella Salomão, explicou que o trabalho vem sendo realizado desde 2017, quanto teve início uma série de investimentos na educação, como a construção de creches e reformas de unidades de educação. “A família e o poder público têm que se unir para levar as crianças de volta para a escolas e mantê-las lá. Por isso, é com grande alegria que recebemos esta boa notícia do reconhecimento público pelo trabalho realizado”, disse Stella, ao lado do secretário de Saúde, Rodrigo Mucheli, e da representante da Secretaria de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, Cássia Marques.

Ainda de acordo com a secretária de Educação, o Programa Busca Ativa também procura alunos que nunca foram à escola, por meio de uma parceria com a Saúde e a Assistência Social. “Uma vez identificada, a família da criança, em idade escolar e sem matrícula, é automaticamente notificada e a criança é encaminhada a uma unidade escolar”, explica Stella, acrescentando que a idade escolar obrigatória é de 4 a 17 anos.

Quem também comemorou a conquista foi o prefeito Fernando Jordão e o vice-prefeito, Manoel Parente. “Se a gente quer melhorar a cidade, o desenvolvimento social, tem que investir na educação das crianças. Esse reconhecimento público é sinal de que estamos contribuindo com a sociedade. A Unicef pode ter certeza de que vamos além de manter a meta, vamos avançar e queremos ser parceiros em outros programas que visam o bem das crianças”, comemorou o prefeito.

 

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !