Professor apresenta projeto em Congresso de Portugal

0

BARRA MANSA/VOLTA REDONDA

O cientista como um cidadão comum. Assim o professor Lucas Peres Guimarães, professor da educação básica de Volta Redonda e Barra Mansa teve seu trabalho selecionado para participar do 1º Congresso Internacional de História da Ciência no Ensino, em Portugal.

Professor das escolas municipais Juarez Antunes, em Volta Redonda e Dr. Mauricio Amaral, em Barra Mansa. Lucas apresentou a docentes da Europa a sua dissertação de mestrado ‘Lavoisier na sala de aula: uma abordagem da história da química para o ensino da lei de conservação das massas’.

Sua tese mostra, através da história, que o trabalho de um cientista é feito por um ser humano comum. “Os alunos acham o cientista como uma profissão muito distante da realidade deles, um super gênio, ou maluco. A dissertação mostra o contrário, são pessoas comuns que através dos seus trabalhos se tornaram notáveis”, destaca.

Ao inscrever o trabalho, despretensiosamente, foi selecionado e apresentou a dissertação no último dia 31 de maio, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).  “O evento foi voltado para professores universitários e secundários, meu trabalho era o único da Educação Básica e foi muito elogiado por incentivar desde cedo os alunos ao ensino das ciências. É uma forma de reconhecimento da escola pública e do ensino de qualidade”, comemora Lucas.

O evento é uma organização conjunta da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Universidade do Porto (UP), Universidade de Coimbra (UC) e Universidade de S. Paulo (USP). O Congresso reuniu pesquisadores, professores e estudantes interessados na história e no ensino de diversas áreas da ciência num debate multidisciplinar. A iniciativa visou discutir a importância da História da Ciência para o sucesso da aprendizagem da Ciência e discutir estratégias para a implementação da História da Ciência no Ensino.

Antoine Laurent de Lavoisier

Foi um químico francês, considerado o pai da química moderna e eleito membro da Royal Society em 1788. É reconhecido por ter enunciado o princípio da conservação da matéria, apesar de o russo Mikhail Lomonossov tê-lo feito 14 anos antes.

Além disso, identificou e batizou o oxigênio, refutou a teoria flogística e participou na reforma da nomenclatura química. Célebre por seus estudos sobre a conservação da matéria, foi mais tarde imortalizado pela frase popular: “Em uma reação química feita em recipiente fechado, a soma das massas dos reagentes é igual à soma das massas dos produtos”.

 

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !