Montanha de escória no Brasilândia é tema de reunião com Procurador da República em Volta Redonda

0

VOLTA REDONDA
Na manhã desta terça-feira, dia 10, diferentes segmentos sociais, acompanhados da presidente da Comissão de Meio Ambiente da OAB.VR, Maria da Conceição Silva Martins, se reuniram no município com o Procurador da República em Volta Redonda, Jairo da Silva. O principal ponto da agenda foi a questão da montanha de escória da Companha Siderúrgica Nacional (CSN), no bairro Brasilândia, processo de 2018.
Debateram também com o Procurador sobre a escória e as consequências danosas à comunidade, representantes da Comissão Socioambiental do Movimento Pela Ética na Política (MEP), o professor Michel Bastos e José Maria da Silva, o Zezinho, a bióloga Adriana Vasconcelos, moradora do entorno da montanha, além da coordenadora da Comissão Ambiental Sul; Jussara, a ambientalista Alexandre Campos, do Coletivo VR Abandonada, e João Thomaz de Araújo, do Sindicato dos Engenheiros (SENGE-VR) durante cerca de uma hora e meia.
INICIATIVA POSITIVA
Adriana Vasconcelos considerou a iniciativa positiva. “O encontro foi proveitoso. A aproximação do Ministério Público Federal com a comunidade ouvindo seus anseios é muito importante. A proposta do encontro com os técnicos para discutirmos os termos do TAC. Para que a gente como população tenha acesso é muito importante”, concluiu a bióloga da Comissão Ambiental Sul.
Após escuta, debate e inúmeras preocupações apresentadas sobre o tema, o Procurador passou algumas informações e esclareceu que a liminar para reduzir a pilha de escórias está em vigor e o local está sendo monitorado. Foi lembrado também que um novo TAC está em discussão. “A liminar para redução da pilha está sendo monitorada, e um novo TAC segue em elaboração com participação dos técnicos ligados ao Ministério Público e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea)”, informou o Procurador Jairo da Silva.
Como desdobramento da reunião, o Procurador acatou a sugestão para a realização de um novo encontro virtual sobre o TAC, com participação de técnicos ligados ao Ministério Público e especialistas representantes dos movimentos.