FCA e Groupe PSA modificam acordo de fusão da Stellantis

0

SUL FLUMINENSE

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e a Peugeot S.A. (Groupe PSA) concordaram em modificar certos termos de seu acordo de fusão 50/50 para criar a Stellantis, a quarta maior fabricante automotiva do mundo em volume. A organização oriunda da junção terá este nome que tem origem no verbo latino ‘stello’, que significa ‘iluminar com estrelas’. A previsão é que a fusão seja concluída no primeiro trimestre de 2021. A Stellantis será o quarto maior fabricante de veículos global em volume e terceiro maior em receita, com vendas anuais de 8,7 milhões de unidades e receitas combinadas de cerca de € 170 bilhões. A expectativa é que todas as marcas sejam mantidas: Peugeot, Citroen, Vauxhall, Opel, Fiat, Alfa Romeo, Maserati, Chrysler, Dodge e Jeep.

As partes concordaram com as mudanças para levar em conta o impacto de liquidez da pandemia da Covid-19 na indústria automotiva, ao mesmo tempo em que preserva o valor econômico e o equilíbrio fundamental do Acordo de Fusão original. As mudanças foram aprovadas por unanimidade pelos Conselhos de ambas as empresas com o forte apoio de seus principais acionistas. Os compromissos existentes para apoiar a transação da EXOR, do Grupo da família Peugeot (EPF / FFP), da Bpifrance e da Dongfeng Motor Group (DFG) permanecem em vigor.

Mais especificamente, os dividendos especiais a serem distribuídos pela FCA aos seus acionistas antes do fechamento são fixados em € 2,9 bilhões (anteriormente, era de € 5,5 bilhões), enquanto a participação de 46% do Groupe PSA na Faurecia será distribuída a todos os acionistas da Stellantis imediatamente após o fechamento e após a aprovação do Conselho de Administração da Stellantis e de seus acionistas.

A fusão transformará o grupo na quarta maior fabricante automotiva do mundo – Fábio Guimas

Como resultado dessas mudanças, os respectivos acionistas da FCA e do Groupe PSA receberão o equivalente a 23% do capital da Faurecia (capitalização de € 5,867 bilhões no fechamento do mercado em 14 de setembro de 2020), enquanto sua participação de 50/50 na Stellantis – grupo que agora terá € 2,6 bilhões em liquidez adicional em seu balanço – permanecerá inalterada.

Adicionalmente, também foi acordado que os Conselhos dos Grupos PSA e FCA considerarão uma distribuição potencial de € 500 milhões aos acionistas de cada uma das empresas antes do fechamento ou, alternativamente, uma distribuição de € 1 bilhão a serem pagos a todos os acionistas da Stellantis após o fechamento. Essas decisões serão tomadas em função do desempenho e das perspectivas de ambas as empresas, bem como das condições de mercado e desempenho no período intermediário. Tais distribuições estarão sujeitas à aprovação dos Conselhos das duas empresas.

A FCA e o Groupe PSA confirmam que todos os demais termos econômicos do seu Acordo de Fusão, firmado em 2019, permanecem inalterados e que a implementação da fusão está prevista para o final do primeiro trimestre de 2021, de acordo com as condições previamente acordadas para o fechamento no Acordo de Fusão.

Os Conselhos da FCA e do Groupe PSA estão, mais do que nunca, convencidos sobre a lógica e sobre o extraordinário potencial de criação de valor desta fusão. A Stellantis pode impulsionar, desde o início, um negócio fortemente diversificado, com altas margens em suas principais regiões – Europa, América do Norte e América Latina -, bem como um portfólio único de marcas bem estabelecidas e icônicas.

Porto Real é sede do Polo Industrial Brasil do Groupe PSA – Divulgação

Na América Latina, o Groupe PSA conta com Polo Industrial no Brasil, localizado na cidade de Porto Real, no Sul Fluminense. Para desenvolver as atividades do Grupo na América Latina e possibilitar uma dinâmica propícia ao desenvolvimento comercial de suas duas marcas Peugeot e Citroën, foi criada, em setembro de 1997, a filial do Groupe PSA denominada Peugeot Citroën do Brasil. Em 2001, foi inaugurado o Polo Industrial Brasil (PIBR), em Porto Real. No ano seguinte, a empresa começou a fabricar motores no seu Polo Industrial. Desde a sua inauguração, em fevereiro de 2001, as linhas de produção da fábrica de Porto Real já produziram mais de 1,5 milhão de veículos e mais de 2 milhões de motores.

O PIBR é uma das dezoito fábricas do Groupe PSA em todo o mundo, o primeiro a lança em 2001 a produção quase simultânea de um modelo de cada marca: o Citroën Xsara Picasso e o Peugeot 206. A flexibilidade das linhas de montagem possibilita a fabricação de diferentes veículos das duas marcas. Atualmente, o polo fabrica o Peugeot 208 e 2008 e o Citroën C3,  Aircross e C4 Cactus.Este mesmo centro de produção fabrica os motores EC5 1.6l e EC5 EAT6 flexfuel e a gasolina, para veículos comercializados no Brasil e na Argentina. Ampliando as atividades do Polo Industrial Brasil, em julho de 2009, foi inaugurada a Unidade de Usinagem de motores, que tem capacidade total para produzir 130 mil blocos de ferro fundido e 80 mil cabeçotes de alumínio por ano, em três turnos.

O polo de Porto Real produz modelos das marcas Peugeot e Citroën – Divulgação

SINERGIA

A estimativa de sinergias anuais recorrentes geradas pela criação de Stellantis foram elevadas acima de € 5 bilhões, contra os € 3,7 bilhões originalmente estimados. “Com este novo marco decisivo, caminhamos todos juntos rumo ao nosso objetivo nas melhores condições possíveis e com perspectivas ainda melhores para a Stellantis. Gostaria de aproveitar esta oportunidade para agradecer calorosamente às equipes que têm conseguido construir relacionamentos de confiança mútua, inclusive durante o período de confinamento devido à Covid-19. O fator humano está no centro da dinâmica de tal projeto, assim como o apoio dos nossos acionistas que, mais uma vez, demonstram seu compromisso para a criação da Stellantis ”, afirma Carlos Tavares, presidente do Conselho de Administração do Groupe PSA.

Por sua vez, Mike Manley, diretor executivo da FCA, acrescentou ser digno de elogios o comprometimento das equipes que estão trabalhando para o lançamento da Stellantis e de todos os colaboradores para superar os extraordinários desafios apresentados pela Covid-19. “O anúncio de hoje é mais um forte sinal de nossa determinação comum para garantir que a Stellantis tenha todos os recursos necessários para implementar seus ativos únicos, suas energias criativas e muitas oportunidades para a criação superior de valor para todos os nossos stakeholders (grupos de interesse)”, finaliza.

error: Conteúdo protegido !