Décimo terceiro pode reforçar o combate às dívidas de trabalhadores

0

SUL FLUMINENSE

O trabalhador assalariado aguarda o fim de ano ansioso para receber o abono salarial. A grande maioria conta com o décimo terceiro, acertado pelas empresas entre novembro e dezembro, para quitar dívidas. Segundo uma pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), quase 90% dos brasileiros pretendem usar o décimo terceiro salário para sair do vermelho.

Com tantos brasileiros usando o dinheiro para pagar dívidas, os presentes deste fim de ano devem ficar magros. Só 5% dos entrevistados disseram que pretendem usar parte do abono para comprar presentes. Outros 2% pretendem usar o dinheiro para pagar as despesas de começo de ano, enquanto outros 2% pretendem poupar parte do que sobrará.

E para quitar as dívidas com o dinheiro extra é se organizar: elencar todas as despesas, incluindo não apenas valor atualizado, mas prazo de negociação. “Todos querem evitar, ou fingir que não possuem dívidas. Com o dinheiro em mãos fica fácil sair às compras nesta época do ano. A dica é ter sobriedade e buscar a negociação. Dependendo do tempo em que a dívida está em aberto, as empresas podem oferecer descontos vantajosos”, comenta a economista e educadora financeira, Eliane Barbosa.

A dona de casa Maria Aparecida Moreira, 49, recebeu o décimo terceiro e garante que vai quitar carnês de lojas e fatura do cartão de crédito. “Fiz as contas em outubro e tava aguardando este mês para procurar o banco e negociar o cartão. Parcelei dando uma boa entrada. Agora, faltam as lojas. Se houver chance, pagarei o que devo à vista e ficarei livre”, comenta.

No caminho para a regularização do Cadastro de Pessoa Física (CPF) o consumidor pode optar pelos canais digitais de bancos e até lojas ou seus representantes jurídicos para propor negociação. O vendedor Ismael Lima, quer utilizar o décimo terceiro para limpar o nome e retornar ao mercado. “Sem ter o nome limpo as lojas não aceitam parcelamento. Falta receber a segunda parcela do décimo terceiro e pretendo juntar e quitar dívidas do meu CPF. Quero comprar um celular novo e, claro,evitar ficar inadimplente novamente”, comenta.

GASTAR OU POUPAR?

A chegada do décimo terceiro salário coincide com o aumento de gastos típicos de final de ano, como troca de presentes, ceia de Natal e viagens. Os especialistas orientam que é preciso considerar as despesas previstas para o início de 2020, além de olhar para a situação financeira, e usar o dinheiro de forma consciente. “A dúvida sempre vem, afinal, quem não quer um presente, um bem ou serviço? Com dinheiro a mais isso parece mais fácil. Porém, sugiro que o décimo terceiro sirva como reserva. Invista, guarde o dinheiro para ações de médio a longo prazo”, opina o advogado tributário, Osvaldo Amaral.

Por outro lado, o consumidor que não tem dívida, mas também não pretende realizar reservas, o caminho é ter bom senso. “Compre à vista ou pague em poucas parcelas. Evite a inadimplência”, frisa. A estudante Janaína Coutinho pretende seguir este rito. “O décimo terceiro será usado a meu favor: roupas, lazer e diversão. Tudo à vista e conforme o dinheiro permitir, claro”, argumenta.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !