Cursos técnicos podem contribuir para vaga no mercado de trabalho

0

SUL FLUMINENSE

Segundo um estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), os profissionais que passaram por um curso de qualificação ampliaram em 30% as chances de encontrar um novo emprego. Seja através de aulas presenciais, semipresenciais ou à distância, quem busca qualificação pode recorrer aos cursos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

No site Mundo Senai, na página www.mundosenai.com.br é possível localizar orientações sobre educação profissional. A plataforma permite uma análise do perfil do aluno, sugerindo os cursos mais interessantes. Também é possível avaliar em qual nível profissional o candidato está e como evoluir na carreira. As modalidades são: Técnico – para quem está cursando ou já concluiu o Ensino Médio e busca alguma qualificação profissional para se inserir no mercado de trabalho; Aperfeiçoamento – para quem não tem uma profissão, e quer se aprofundar em alguma área específica; Qualificação– para quem não tem formação profissional e quer entrar rapidamente no mercado de trabalho (são cursos mais curtos do que os técnicos).

O curso de Técnico em Mecânica integra a grade das unidades do Senai

A página tem área que reúne informações sobre todas as profissões, em ordem alfabética, de acordo com a sua área tecnológica de interesse (como Energia, Logística, Meio Ambiente, Tecnologia da Informação etc). A página informa quais áreas pagam melhores salários e quais setores costumam contratar mais. O jovem Afonso George pretende especializar no setor de mecânica. “Quero aproveitar as empresas da região e aprender o curso de Técnico em Mecânica. Estou terminando o Ensino Médio e soube que o profissional dessa área ganha acima de R$ 4 mil, tendo a formação técnica de nível médio. Quero algo que tenha na região”, comenta.

O setor de mecatrônica forma profissionais para trabalhar com equipamentos automatizados

Outra opção de curso é o Técnico em Mecatrônica, o aluno é preparado para desenvolver, implementar e manter máquinas e equipamentos automatizados de manufatura. A grade de ensino aborda a programação de softwares, design mecânico e de circuitos, entre outras habilidades. “Esse cenário da robótica me atrai, apesar de achar complexo. Eu concluí o Ensino Médio em 2019 e quero tentar uma vaga em unidades do Senai da região”, comenta o auxiliar de serviços gerais, Rafael Silva. Um profissional desta área pode ter rendimento médio acima de R$ 4,5 mil.