Cresce o apoio às cooperativas de resíduos sólidos em Volta Redonda

0

VOLTA REDONDA

Devido à pandemia por causa do novo coronavívirus (Covid-19) , as atividades laborais das cooperativas de resíduos em Volta Redonda estão suspensas. Mesmo assim, os catadores estão realizando plantões para receber de muitas pessoas materiais selecionados em suas residências. A informação foi passada pela presidente da Cooperativa Folha Verde, Maria de Fátima Valentim,antes de iniciar a reunião realizada na terça-feira, dia 29, na sede das cooperativas, no bairro Voldac.

Pela equipe ambiental do Movimento Pela Ética na Política (MEP), Fernando Bonfatti, que articulou o encontro também falou sobre a importância das cooperativas na cidade. Disse que a cada dia cresce o número de apoiadores dessa atividade. Prova disso é que mesmo na pandemia, as ações não param. Sendo assim, os catadores também não deixam de faturar.

Dois representantes das cooperativas Folha Verde e Cidade do Aço, instaladas no local, participaram da reunião, além de dois representantes da Incubadora Tecnológica de Empreendimentos de Economia Solidária do Médio Paraíba (InTECSOL/UFF) e três representantes da equipe ambiental do MEP. O principal objetivo do encontro, segundo os organizadores, foi discutir a questão sanitária urgente para os trabalhadores do local.

REFORMA E ADEQUAÇÃO DOS BANHEIROS

Disse Fernando Bonfatti, responsável pela articulação da construção sanitária que, provocado pela última visita ao espaço, via equipe ambiental, o Movimento quer, junto com os catadores, oferecer concretamente uma doação pelo menos para reforma e adequação dos banheiros, de forma atender os dois grupos emergencialmente. “Sabemos que há pessoas que já fizeram até projetos, a ideia é com vocês definir a melhor solução”, explicou Fernando.

Fernando Bonfatti explicou ainda que é responsável pela articulação da construção sanitária. Depois de mais de uma hora em discussão as representações das cooperativas dada a urgência dos sanitários acordaram por reformar o banheiro e adequá-lo de forma a servir as pessoas das duas cooperativas. “Até que se faça um projeto maior para atender as duas cooperativas, não podemos perder a oferta, aceitamos a reforma emergencial”, disse a presidenta da Cooperativa Cidade do Aço, Teresinha de Jesus, concordando com a dirigente da Cooperativa Folha Verde, Maria de Fátima.

ENCAMINHAMENTOS

Depois da reunião foram tirados alguns encaminhamentos. Os técnicos presentes avaliaram a necessidade de drenagem no terreno e desvio das águas pluviais e na sequência elaborar a reforma. Disseram os técnicos que não foi possível entrar nos banheiros por estarem alagados. Euvado Santana, da Cooperativa Folha Verde ficou responsável de até o início do ano colocar uma retroescavadeira no local para drenar a água das chuvas. Fernando e Luciano Ribeiro, da equipe do MEP, ficaram responsáveis para definir a reforma, o orçamento e a previsão do início das obras. Dois representantes da InTECSOL\UFF ajudarão na elaboração da  ‘minuta do documento’ a ser assinado pelas partes envolvidas no processo solidário, antes do início das obras.