CNC reduz projeção de crescimento do setor de varejo

0

SUL FLUMINENSE

A Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC) reduziu a expectativa de fechamento das vendas no varejo ampliado em 2019 de 4,3% para 4%, e também reavaliou de 5,5% para 5,4% sua expectativa para o ano de 2020. As projeções divulgadas nesta quinta-feira, 16, tiveram como base os dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) alusiva o mês de novembro, divulgada no dia 15, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No Sul Fluminense, comerciantes vivem expectativa de bons negócios em 2020. “Tivemos um bom desempenho ano passado, englobando os itens de medicamentos e outros da parte de perfumaria e beleza. Para 2020 a meta é conquistar o mercado e ter melhores resultados perante a alta de 3,5% que obtive principalmente em novembro”, comenta o empresário Romualdo Dantas.

Segundo a PMC do IBGE, o volume de vendas dos dez segmentos que integram o comércio varejista no conceito ampliado encolheu 0,5% em novembro, num comparativo com outubro. No acumulado de janeiro a novembro de 2019, o varejo ampliado acusou alta de 3,8% e o varejo restrito (que exclui os ramos automotivo e de materiais construção) ficou em 0,6%. Entre segmentos pesquisados que tiveram taxas negativas em novembro destaque para livrarias e papelarias (-4,7%) e entre os que tiveram alta, artigos farmacêuticos e de perfumaria surgem com 4,1%.

REAVALIAÇÃO DE VENDAS

Segundo o economista Fábio Bentes, responsável pela análise da CNC, chama a atenção o volume corrente de vendas do varejo em 5,5%, abaixo do nível registrado antes da recessão. “O resultado decepcionante das vendas se alinha, portanto, a outros indicadores como os da indústria e dos serviços; reforçando a necessidade de estímulos à economia”, finaliza.

error: Conteúdo protegido !