‘Aulão’ do MEP reúne pesquisadores das áreas de Geologia e Geografia em Volta Redonda

0

Em formato de ‘roda de conversa’, o ‘aulão’ do Movimento Pela Ética na Política (MEP), realizada no último sábado, 22, em Volta Redonda, contou com a presença de pesquisadores que abordaram de forma transversal a Geologia e Geografia e suas importâncias nas relações sociais, culturais e econômicas. Os pesquisadores participantes destacaram que a ciência deve ser ‘popular’.

A ex-aluna do MEP, mestranda em geociências e meio ambiente pela UNESP, Silvia Real, disse que os pesquisadores precisam apresentar a ciência de forma simples para mostrar sua importância no desenvolvimento de um país e de cada indivíduo. Silvia é também grande incentivadora e articuladora do inédito ‘colóquio científico’ no Movimento.

FOCO NA CIDADE DE VOLTA REDONDA

A mestranda em geofísica, Clara Farias, e o doutorando em geoquímica, Caio Gonçalves, ambos da Universidade Federal Fluminense (UFF-Niterói), em suas abordagens deram foco à cidade de Volta Redonda, em especial pela relevante Bacia Sedimentar que contribui para entendimentos nos estudos sobre petróleo.

Eles ainda citaram o maciço rochoso da Voldac. “Há diferentes elementos rochosos importantes em Volta Redonda, além da Pedreira da Voldac, um derrame de lava ‘ankaramítica’ situado no bairro Vila Rica, que é raríssimo no Brasil”, destacou Caio. Clara, na sua complementação fez uma recomendação. “Procurem olhar para seus espaços de vivências, de cidade, de mundo, certamente colherão elementos diferenciados que ajudarão na continuidade de seus estudos nas áreas de suas vocações”, pontuou a geóloga.

IMPACTOS SOCIAIS

Mestrando em geografia na UFF-Niterói, Michel Couto, mostrou estudos relacionados aos impactos sociais na vida da população em disputas dos espaços públicos e privados e enfatizou a importância das universidades para estes olhares. “Encontros assim são riquíssimos, as universidades não podem ficar afastadas das comunidades”, declarou animado o geógrafo no final de sua exposição.

Além dos alunos do MEP, participaram como convidados cientistas das áreas de História e Direito, ambos ligados ao Centro Universitário Geraldo Di Biase (UGB-Ferp), da Sociologia e Física ligados à UFF-VR, Pedagoga ligada à Pastoral de Educação e ainda biólogo colaborador no Movimento. “Espetacular a forma horizontalizada e dinâmica das exposições provocadoras e ao mesmo tempo animadoras, em especial para o momento de mundo que vivemos”, concluiu um dos participantes.