Artistas regionais mostram seu talento em dois palcos da Exapicor

0

RESENDE

Todos os anos a linha de shows é uma das grandes atrações, se não a principal, da Exapicor; que cria grande expectativa nos moradores. Na edição deste ano, que comemora os 50 anos de realização da festa, o Palco Principal já recebeu astros da música com Péricles e Maiara e Maraísa e até domingo vão passar pelo espaço os sertanejos Bruninho e Davi, Antony e Gabriel e a funkeira Anitta.

Mas a Exapicor, como todos os anos, reserva espaço também para os artistas locais e regionais, de cidades vizinhas do estado de São Paulo e Minas Gerais. Sem a mesma estrutura dos grandes astros, mas com muito talento e acessibilidade maior, eles estarão se apresentando no Palco Resende e no Galpão Sertanejo. Ao todo, segundo a comissão organizadora, serão 48 shows acontecendo nos três palcos.

Um desses artistas é o cantor sertanejo Juliano César, que subiu no palco do Galpão Sertanejo na noite de ontem. Vindo de Guaratinguetá-SP, Juliano canta a música sertaneja de raiz, acompanhado da viola do colega Daniel, de Lorena. O cantor está na estrada há 20 anos fazendo apresentações por várias cidades do país. Ele diz que não tem nada contra o estilo universitário, mas que é um apaixonado pela música de raiz.  Ele parabeniza Resende por abrir espaço dentro da Exapicor para os artistas regionais, sobretudo os sertanejos.

“É muito importante para nós artista regionais é muito difícil. Ter um espaço como este para mostrarmos nosso trabalho valorizando a música sertaneja de raiz é maravilhoso e espero que nunca acabe”, diz o cantor, que tenta explica seu sentimento pela música que canta. “É uma música que entra na alma das pessoas e emociona. Conta a vida difícil do homem do campo e todas as dificuldades que passa para ganhar a vida. Fico feliz quando vejo uma criança cantando sertanejo ou dedilhando uma viola. Gostaria de ver a música sertaneja de raiz tão valorizada como é a música country nos Estados Unidos”, afirma.

O seu colega, Daniel, tem 60 anos e desde os sete toca viola, Ele vem de uma família de artistas do estilo sertanejo e também é enfático ao afirmar que a ideia de ter um espaço reservado para os artistas regionais se apresentarem valoriza o profissional. “Estou ha muito tempo na estrada e sei o quanto ter uma estrutura como esta nos faz ser respeitado”, disse o violeiro

Segundo os organizadores, os shows regionais, que respondem por mais de 80% das atrações musicais, têm um papel fundamental para o sucesso do evento. Isto acontece porque eles colocam uma emoção especial em suas apresentações, uma vez que estão mostrando seu talento na cidade em que nasceram ou escolheram para viver. “Eu adoro a música sertaneja, principalmente aquelas antigas. Nasci na roça e cresci ouvindo essas músicas. Pretendo vir amanhã também”, disse a dona de casa, Marli Gonçalves, de 68 anos, uma das poucas pessoas que assistia a apresentação.

De acordo com o presidente da Associação dos Sertanejos de Resende e responsável pelo Galpão Sertanejo, Paulino Barbosa, a proposta das atrações dos artistas regionais que se apresentam no Palco Resende e no Galpão Sertanejo é garantir a animação antes e depois das atrações no palco principal. Afirma ainda que a adoção de uma linha de shows regionais visa aproveitar a realização de um dos maiores eventos do sul do estado para divulgar o trabalho dos músicos locais. Além disso, as apresentações também têm a função de esquentar o público para receber os grandes nomes da música popular brasileira que se apresentam no Palco 1.

Galpão Sertanejo

Falando especificamente do Galpão Sertanejo, ele afirma que faz parte do resgate do caráter agropecuário da Exapicor. “É uma festa que tem sua origem na valorização da atividade agropecuária em Resende e sem dúvida que o resgate da música sertaneja de raiz está dentro deste contexto. Por isso, reservar este espaço para nossos grandes artistas espalhados por nossa região”, declarou Barbosa, que convida a população vir prestigiar os artistas regionais que se apresentarão até domingo tanto no Palco Resende quanto no Galpão Sertanejo.