Zagueiros assinam contratos por dois anos no Voltaço

0

VOLTA REDONDA

Paulo Vitor e Roger, jovens zagueiros do Voltaço de 19 e 20 anos, respectivamente, assinaram ontem pela primeira vez seus contratos profissionais com o clube. Conhecidos como ‘torres gêmeas’ pela equipe Sub-20, eles foram promovidos na Copinha deste ano, quando o Tricolor avançou, pela primeira vez na sua história, para a segunda fase da competição. A diretoria do clube informou que o vínculo dos dois atletas com o clube irá até 2020.

“O ano começou muito bem, com uma campanha histórica na Copinha, e vem me surpreendendo cada vez mais. Tive a oportunidade de fazer a minha estreia no profissional, em um jogo contra um grande clube, e estou muito feliz em poder assinar o meu primeiro contrato profissional”, comentou Roger, garantindo que agora é continuar trabalhando forte para o Campeonato Brasileiro da Série C. “O clube almeja o acesso e tenho certeza que vamos brigar para conseguir este objetivo”, falou.

Roger é natural de Campo dos Goytacazes, Rio de Janeiro. Ele chegou no Voltaço em 2016, vindo do Vasco da Gama. Capitão da equipe sub-20 nas duas últimas temporadas e com a fama de zagueiro artilheiro na base – neste ano ele marcou três gols em nove jogos – o zagueiro vem ganhando espaço e a confiança do treinador Marcelo Salles. Inclusive, o defensor fez a sua estreia na equipe profissional no empate em 1 a 1 diante do Botafogo, em partida válida pela Taça Rio deste ano.

Já Paulo Vitor, que nasceu em Volta Redonda, está no Esquadrão de Aço desde o Sub-15. PV, como é conhecido pelos seus companheiros de time, já chegou a atuar como lateral-esquerdo e atacante nas divisões de base tricolor. Até que no ano passado, o treinador do Sub-20 Neto Collucci percebeu que ele se daria melhor como zagueiro e, desde então, passou a atuar como defensor. “Feliz demais em assinar o meu primeiro contrato profissional, ainda mais sendo pelo clube que cresci e aprendi tudo o que sei no futebol. Quero crescer dentro do Voltaço, me tornar titular da equipe principal, ganhar títulos e entrar na história do Volta Redonda”, afirmou PV.

O gerente de futebol do Esquadrão de Aço, Leonardo Dinelli, o Zada, explica que os atletas se destacaram nas partidas do Sub-20, sempre mostrando muita qualidade, justificando assim, não apenas a promoção a equipe profissional, mas também a assinatura do contrato de dois anos.

 

Conhecidos como ‘torres gêmeas’ pela equipe do Sub-20, eles foram promovidos na Copinha