Volta Redonda prioriza formalização do trabalho

0

VOLTA REDONDA

A informação do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) de que Volta Redonda iniciou 2019 com 67.878 empregos formais, contra 63.750 do início de 2018, fez com que o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Joselito Magalhães, reafirmasse o compromisso de sua pasta com a formalização do mercado de trabalho local.

Segundo ele, é extremamente importante que o trabalhador esteja amparado pela Previdência Social, o que só é possível para quem tem emprego formal, com carteira assinada, ou contribui na qualidade de microempreendedor individual (MEI).

“Estamos seguindo o que nos orienta o prefeito Samuca Silva e quem ganha a vida trabalhando por conta própria, precisa ter em mente que é preciso contar com alguma forma de proteção contra imprevistos, como acidentes e doenças, e também se preparar para a chegada da idade. A melhor maneira de fazer isso é ser microempreendedor individual e recolher em dia as contribuições. Assim, será possível contar com a Previdência Social em caso de necessidade” afirma o secretário, acrescentando que “todos no setor produtivo, sejam empresários de qualquer porte, microempreendedores individuais ou trabalhadores, podem contar com a prefeitura de Volta Redonda”, disse.

CIDADE MANTÉM LIDERANÇA ESTADUAL NA GERAÇÃO DE EMPREGOS

Volta Redonda manteve o posto de maior geradora de empregos no Estado do Rio, quando considerado o desempenho nos últimos doze meses, o que anula o efeito de eventos sazonais sobre o cálculo.

A cidade acumula um saldo positivo de 2.136 postos de trabalho entre fevereiro de 2018 e o mês passado. A segunda posição ficou com São João da Barra, cidade do Norte Fluminense que abriga o Porto do Açu e acumula um saldo positivo de 1.891 empregos no mesmo período.

O saldo acumulado de Volta Redonda se deve à indústria de transformação, que gerou 679 empregos nos últimos 12 meses, seguida pelo setor de serviços, com 639. Seguem-se comércio (317), administração pública (237), construção civil (172) e serviços industriais de utilidade pública, que engloba os setores de água e energia elétrica, com 97. Só apresentam saldo negativo os setores de extração mineral (-2) e agropecuária (-3).

Há perspectivas em médio prazo, para uma grande quantidade  de contratações para o setor siderúrgico em Volta Redonda. O Pólo Metalmecânico, que está em fase de implementação, também deverá gerar, inicialmente, mais de duas mil novas vagas de emprego.

Para o prefeito Samuca Silva, o emprego continua sendo uma prioridade do governo. “Desde o início do atual governo, estamos trabalhando para melhorar o ambiente de negócios na cidade. Fazemos isso não apenas para atrair novas empresas, mas também para incentivar quem já gera emprego e renda aqui a permanecer e se expandir. Finalmente, desenvolvemos esforços no sistema de educação e também na qualificação profissional, para oferecermos uma mão de obra cada vez mais qualificada”, enfatizou o prefeito Samuca Silva.

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !