Volta Redonda inicia nova etapa do projeto ‘Revi-VER’ com quase mil cirurgias previstas

0

VOLTA REDONDA

O projeto ‘Revi-VER’, da prefeitura, iniciou uma nova etapa em Volta Redonda. O programa oferece exames e cirurgias de catarata para pessoas que aguardam na fila do SUS (Sistema Único de Saúde). Nesta fase estão previstas 900 intervenções cirúrgicas, entre elas as de Pterígio – também conhecida como “Carne no Olho”. Os atendimentos irão até o dia 13 deste mês e acontecem em um centro cirúrgico oftalmológico móvel instalado na Ilha São João.

Neste período ainda estão previstas cerca de 750 biometrias (exames pré-operatórios) e mais 600 consultas de revisão, para paciente submetidos a cirurgias em etapas anteriores. Já os procedimentos de Pterígio, que seriam realizados no Hospital Dr. Munir Rafull (Hospital do Retiro), ocorrerão pela primeira vez no centro cirúrgico da Ilha São João.

O ‘Revi-VER’ é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Em menos de dois anos, mais de 8,8 mil cirurgias foram feitas. Os pacientes atendidos estavam na fila de espera pelo procedimento há alguns anos e antes da cirurgia, foram submetidos a exames pré-operatórios, como o de biometria óptica – utilizado para o cálculo preciso das lentes intraoculares a serem implantadas. Todos os procedimentos, como exames pré-operatórios e acompanhamento pós-cirurgia, ocorrem pelo SUS.

Inscrições no Revi-VER

Podem se inscrever no programa ‘Revi-VER’ qualquer morador de Volta Redonda que tenha sido diagnosticado com catarata. A pessoa ou familiar deve procurar o DIPA (Departamento de Informação, Programação e Avaliação), que fica na sede da secretaria de Saúde, no antigo hospital Santa Margarida, no bairro Niterói. O atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. É necessário levar o Cartão SUS ou CPF e documento com foto do paciente.

As pessoas que já fizeram cadastro para cirurgia de catarata não precisam ir ao DIPA para renovar a solicitação. Todos que estão na fila de espera serão convocados para fazer o procedimento, através de comunicação oficial da secretaria de Saúde. A prefeitura ressalta que não há orientação para que as pessoas procurem atendimento diretamente na Ilha São João.