Volta Redonda chega a 62% de ocupação dos leitos de UTI e atividades econômicas são suspensas por mais sete dias

0

VOLTA REDONDA

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, informou neste sábado que o município terá as atividades econômicas suspensas por mais sete dias, contados a partir de segunda-feira, dia 6. A cidade ultrapassou o limite, estabelecido com o Ministério Público (MP), de 50% de ocupação dos leitos de UTI, que era necessário para manter a flexibilização.  De sexta-feira, para sábado, ocorreu um aumento de 14%, atingindo 62,92% de ocupação de leitos reservados para tratamento de pessoas com a Covid-19.

Samuca anunciou ainda que assinaria um decreto no sábado para que todos os leitos destinados para a Covid-19 sejam de uso exclusivo de pessoas de Volta Redonda. “Precisamos fazer isso diante dessa pandemia. Uma decisão que visa preservar a capacidade de leitos a população de nossa cidade. Fechamos nosso município e as atividades econômicas não estão funcionando, por isso não podemos punir nossa população com ocupação de leitos por pessoas de municípios que estão com comércio aberto”, comentou.

De acordo com o prefeito, a semana passada foi fundamental para manter o controle do vírus. “Ainda não perdemos o controle, mas para que possamos manter isso, fechamos por uma semana novamente. Infelizmente tivemos um aumento de casos graves e de ocupação nos leitos de UTI e CTI”, disse, citando o acordo com o Ministério Público, homologado pela Justiça, que determina a suspensão das atividades economicas, caso haja ocupação de mais de 50% dos leitos.

Teve aumento também na ocupação do Hospital de Campanha, atualmente com 16% dos leitos ocupados. De acordo com o prefeito, essa é a maior taxa até o momento. Samuca destacou ainda que o Hospital Regional segue sem receber novos pacientes de Covid-19, o que sobrecarregou a rede municipal.

Atualização dos dados da Covid-19

Volta Redonda registrou até este sábado, 7.755 casos notificados como suspeitos, sendo que 1.863 casos já foram confirmados, sendo 1.418 pessoas consideradas curadas. O número de óbitos na cidade também aumentou, chegando a 76. A nova vítima é uma idosa de 70 anos, que era diabética.

Os eixos de monitoramento são: o número de casos suspeitos não aumentar mais que 5% por três dias seguidos; A ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50%;A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60%; O grupo de risco permanecer em isolamento social; Uso de máscara obrigatório nas ruas; Além de manter a proibição de qualquer tipo de aglomeração.

error: Conteúdo protegido !