Usina hidrelétrica de Furnas aumenta mais uma vez vazão no Rio Paraíba do Sul

0

SUL FLUMINENSE

A Regional da Defesa Civil (Redec Sul) foi novamente informada sobre o aumento do nível do Rio Paraíba do Sul. Ontem, dia 13, a comporta da usina hidrelétrica de Furnas, represa do Funil, em Itatiaia, abriu novamente a vazão em mais 50 metros cúbicos por segundo (m³/s). Na quarta-feira, dia 12, a vazão já havia sido aumentada de 373 m³/s para 480 m³/s. Com a nova abertura, a vazão da represa chega a 530 m³/s. A liberação de água é feita gradativamente durante o decorrer do dia.

Com a abertura da comporta que aconteceu no dia 12, o município de Volta Redonda registrou pontos de alagamentos. As pontes que ligam o bairro Aterrado aos bairros Aero, Niterói, como a Pequetito Amorim, e a Dr. Murilo César, à Avenida Adalberto de Barros Nunes, a Beira Rio, foram interditadas. A obstrução da pista com placas de aviso foi feita na manhã de quinta-feira, pela Secretaria Municipal de Transporte Urbano (SMTU).

Já em Barra Mansa, na parte da manhã, o Rio Paraíba do Sul alcançou um nível de 3,64 metros na região central, sendo que a cota de alerta na cidade é de 3,50 metros, mas não houve transbordos. O coordenador da Defesa Civil de Barra Mansa, Sergio Mendes, explicou que a água liberada da represa chegaria a Barra Mansa por volta das 19 horas. “Até esse horário, o nível do Paraíba abaixou, para em seguida subir novamente em decorrência da nova abertura da comporta”, disse.

Os pontos que concentram maiores riscos de transbordamento em Barra Mansa são os bairros Vila Maria, ponto final de Saudade, Vista Alegre, Vila Nova e Rua Eduardo Junqueira, no Centro.

Em Resende o nível do Rio Paraíba elevou gradativamente, marcando 3,82 metros na cidade, com previsão de atingir 3,95 metros com a nova abertura. Na cidade, os pontos que correm risco de alagamento são na região ribeirinha da Vila Araújo, pontos da Avenida Rita Ferreira da Rocha, debaixo da Ponte Miguel Couto Filho, no Centro da Cidade e na Avenida Kennedy, na altura do Parque Zumbi, na região central.

A Defesa Civil de Resende informou ainda que a represa de Funil precisa abrir o vertedouro esquerdo (que é um sistema de ‘alívio’) para a liberação do volume de água que ainda é decorrente das chuvas de segunda-feira, dia10, no estado de São Paulo e de afluentes localizados antes da represa.

Posicionamento de Furnas

Através de nota enviado ao A VOZ DA CIDADE, Furnas informou a que a Usina de Funil está operando conforme despacho do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), com vazão afluente (volume de água que entra no reservatório) de 480 m³/s e vazão defluente (volume que sai) também de 530 m³/s, garantindo um nível seguro para o reservatório e áreas do entorno. O reservatório encontra-se atualmente na elevação 461,52 metros, e volume útil de 70,72%. O vertedouro foi aberto em 12/2. Este é um procedimento que segue o Plano Anual de Prevenção e Controle de Cheias da Bacia do Rio Paraíba do Sul, elaborado em conjunto pelo ONS e agentes de geração de energia.

A abertura do vertedouro é previamente informada aos órgãos competentes, incluindo a Defesa Civil dos municípios da região do empreendimento.

O reservatório de Funil opera em conjunto com outros três grandes reservatórios de regularização (Paraibuna, Santa Branca e Jaguari), localizados no trecho paulista da bacia do Rio Paraíba do Sul, para regularização da vazão do Rio Paraíba do Sul.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !