Vacina contra gripe tem algumas novidades neste ano

0

BARRA MANSA

A campanha de vacinação contra a gripe, que começou no ultimo dia 10 em todo país, traz algumas novidades neste ano de 2019, que diz respeito a quem pode tomar a vacina. O A VOZ DA CIDADE conversou com a coordenadora do Setor de Imunização da Secretaria de Saúde, Marlene Fialho, que esclareceu algumas dúvidas a respeito da vacina da influenza e algumas mudanças neste ano para alérgicos a ovo e também a expansão da idade de crianças que podem ser imunizadas. Ela explicou que a vacinação deve ser anual, já que a composição dela é alterada, de acordo com os vírus mais frequentes, de cada ano.

A formação da formulação da vacina contém proteínas de diferentes cepas (Linhagens) do vírus Influenza definidas ano a ano conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com Marlene, a vacina é trivalente. “Ela protege contra os três vírus mais circulantes e virulentos do ano, contendo o Influenza A (H1N1) o A (H3N2) e o Influenza B. Quando chega no meio de cada ano, os pesquisadores analisam qual será o vírus circulante do ano seguinte”, disse, completando a vacina leva em média de sete a dez dias para começar a ter efeito.

MUDANÇAS EM 2019

Pessoas alérgicas a ovo não podiam tomar essa vacina. Porém, neste ano uma mudança em todo o Brasil. De acordo com a Marlene, atualmente é possível que esse público que é alérgico, receba a dose da vacina, mas, no entanto, é preciso cuidado. “O médico deve avaliar o perfil do paciente e o risco/benefício da vacina. E a dose deve ser aplicada com precaução e em ambiente hospitalar”, informou.

Outra informação importante é que as pessoas com imunossupressão (pessoas com imunidades baixas) também estão autorizadas a recebê-la. No entanto, a coordenadora do Setor de Imunização explica que existem complicações. “Não é que a pessoa que está imunossuprimida não possa tomar a vacina, mas ela pode ter uma resposta reduzida ou anulada da dose. Então é necessário esperar a imunidade melhorar para fazer uma proteção mais eficaz”, disse.

Outra mudança é na faixa-etária do público infantil foi ampliada. Durante a campanha, receberão a vacina todas as crianças entre seis meses e menores de seis anos de idade (até cinco anos, 11 meses e 29 dias). Até o ano passado, eram vacinadas as crianças menores de cinco anos.

QUEM PODE TOMAR A DOSE

Crianças de seis meses até seis anos incompletos, idosos (mais de 60 anos), gestantes, mulheres que tiveram filhos em até 45 dias, portadores de doenças crônicas, professores das redes pública e privada, profissionais de saúde, pessoas privadas de liberdade, funcionários do sistema prisional e adolescentes de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas. Segundo Marlene Fialho, esses são os grupos mais vulneráveis ao contágio da doença. “Quem não faz parte desses critérios, tem a opção de comprar a vacina e tomar na unidade particular, ou esperar a campanha acabar e ver se o Ministério da Saúde vai abrir para toda a população, mas isso não é garantido”, contou.

Ela ainda explica o motivo desse critério para a vacinação. “Isso não quer dizer que uma pessoas que tenha de seis a 59 anos não possa ter contato com o vírus e ter complicações, mas é algo mais difícil de acontecer, esse público geralmente tem contato com o vírus, sem ter complicações. Já uma gestante, criança ou idoso, se tiver contato com o vírus, pode ter diversas complicações, podendo ir até a morte”, finalizou.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !