Vacina contra gripe não deixa a pessoa imune ao coronavírus, mas ajuda o trabalho de identificação dos sintomas da Covid-19

0

BARRA MANSA

A campanha de vacinação contra a influenza começou na última segunda-feira, dia 23, tendo grande adesão do público alvo em algumas cidades, como é o caso de Volta Redonda, que em apenas 4 horas, esgotou o estoque da vacina, imunizando mais de dez mil idosos contra a gripe. Contudo, ainda há dúvidas da população a respeito da vacina e como ela pode ajudar no combate à pandemia do coronavírus. Há alguns que acham que vacinando contra a gripe estão livres do coronavírus, o que não é verdade. O médico e chefe do Serviço de Pneumologia do Hospital Santa Maria, em Barra Mansa, Gilmar Alves Zonzin, explicou que apesar da imunização da influenza não combater a Covid-19, ela pode ajudar a facilitar o trabalho dos médicos na identificação dos sintomas.

Segundo Zonzin, nesta época do ano há o aumento da circulação do vírus influenza e com a aplicação da vacina, menos pessoas procurarão as unidades de saúde com a enfermidade. Outra vantagem é que, caso a pessoa que recebeu a dose da influenza adoeça, os profissionais de saúde poderão identificar com mais certeza os sintomas da Covid-19. “Os sintomas são parecidos. A influenza também causa dificuldades respiratórias e traz o risco de morte. Então eliminar a possibilidade de contrair esse vírus em um momento de pandemia é de suma importância”, expôs.

O pneumologista explicou ainda que a vacinação contra a influenza repercutirá positivamente caso o publico necessário seja atingido. “Um idoso, por exemplo, que é vulnerável, tanto ao coronavírus, quanto a influenza, ele eliminará um risco ao tomar a vacina. Diminui a possibilidade de contrair um dos vírus e, nas pior das hipóteses, contrair os dois ao mesmo tempo”, ratificou, lembrando que tirando um inimigo do jogo o sistema de saúde terá mais disponibilidade para cuidar dos pacientes com a Covid-19.

A IMPORTÂNCIA DAS VACINAS

Para o Dr. Gilmar Alves Zonzin o momento é também de reflexão da importância que as vacinas têm. “A vacinação correta sempre foi recomendada pelos profissionais de saúde, mas muitas pessoas não estavam dando importância para a imunização”, afirmou, finalizando que agora todos aguardam a vacina contra a Covid-19, que ainda não existe. “Mas agora, com um vírus respiratório perigoso, a população está preocupada e é o momento da compreensão da importância das vacinas”, finalizou.