UTIs do Hospital Regional reabrem e local já está com quase 100% de ocupação

0

VOLTA REDONDA

Com o aumento no número de casos de Covid-19 no Estado do Rio de Janeiro e na região, o Hospital Regional do Médio Paraíba Dra Zilda Arns, localizado em Volta Redonda, que recebe além de pacientes que moram na cidade, de todo o Estado, teve que reabrir as portas da UTIs na última semana. Mesmo com pouco tempo de atendimento, a situação já é preocupante. Quase 100% dos leitos, segundo fontes ouvidas pelo A VOZ DA CIDADE, já estão ocupados, em sua maioria, por pacientes do Rio de Janeiro, onde o cenário não está diferente. Pela primeira vez desde junho, a rede Sistema Único de Saúde (SUS) da capital, possui mais pessoas com o novo vírus, esperando por uma vaga na Unidade de terapia intensiva (UTI), do que leitos disponíveis.

O Hospital Regional, que fica no bairro Roma, foi transformado em um centro de referência para tratamento de pessoas infectadas pelo novo coronavírus em março deste ano, no início da pandemia. Depois dessa determinação, a unidade passou a receber pacientes de quase todo o estado, encaminhados pela Central Estadual de Regulação (CER).

Segundo fontes, além da alta no atendimento, a unidade hospitalar estaava sem ventiladores pulmonares para todos os pacientes que possam precisar do aparelho, utilizado para auxiliar a realização do movimento respiratório quando o paciente está incapacitado de fazê-lo sozinho. Mas no final da tarde de hoje chegaram 15 que devem suprir o que pode ser necessário, mas podem ser necessários mais.

Com a determinação da reabertura, as clínicas, com 30 leitos, e as quatro UTIs, com cerca de 80 leitos, voltaram a funcionar e mesmo assim, a situação é de lotação.

No Estado do Rio, de acordo com o último boletim epidemiológico são 343.995 casos confirmados, 22.256 óbitos por coronavírus, 315.467 pacientes recuperados da doença e 6.272 pacientes com o vírus ainda ativo.

A SES esclarece que os 115 óbitos registrados hoje ocorreram entre as semanas epidemiológicas 36 a 47.

CALAMIDADE NO RIO

A taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid-19 na rede SUS – que inclui leitos de unidades municipais, estaduais e federais – no município do Rio é de 91%. Já a taxa de ocupação nos leitos de enfermaria é de 69%.
Nas unidades da rede municipal, há 510 pacientes internados, sendo 257 em UTI. A rede SUS na capital tem 1.035 pessoas internadas em leitos especializados, sendo 498 em UTI.

Já a Secretaria de Estado de Saúde (SES), informou que a taxa de ocupação, considerando todas as unidades da rede estadual destinadas à Covid-19, está em 40% em leitos de enfermaria e 77% em leitos de UTI. No momento (e isso é dinâmico) em toda a rede SUS da Região Metropolitana 1 – que engloba a capital e municípios da Baixada Fluminense – há 171 pessoas em processo de transferência. Deste total, 86 são para UTI Covid.

AUMENTO NO NÚMERO DE LEITOS E ADIAMENTO DAS CIRURGIAS

Devido o aumento no número de casos na capital, o Governo do Estado e a Prefeitura do Rio anunciaram no início da semana a abertura de 214 leitos para pacientes com Covid-19, em sete unidades de saúde, a partir de 7 de dezembro. Além disso, foi determinado que seriam suspensas as cirurgias eletivas que não sejam de alta complexidade nos hospitais de urgência e emergência da rede Sistema Único de Saúde no Rio de Janeiro, também a partir do dia 7. Já as cirurgias eletivas de alta complexidade, como oncológica, bariátrica, vasculares, ortopédicas e neurológicas, serão mantidas. As decisões serão analisadas em encontros semanais entre os órgãos responsáveis.

 

error: Conteúdo protegido !