Último ensaio do Bloco da Vida será no bairro São Cristóvão

0

VOLTA REDONDA

O Bloco da Vida, maior da natureza e formado por pessoas da terceira idade do Brasil irá fazer, no dia 21 deste mês, seu último ensaio para o desfile, que acontece no próximo dia 24, na Vila Santa Cecília. O ensaio vai ser realizado na quadra coberta do bairro São Cristóvão, localizado na Rua Francisco Evangelista Delgado, a partir das 19 horas.

Segunda destacou a coordenadora, Fátima Martins, o maior bloco do País voltado para a terceira idade irá desfilar neste ano com nada menos do que 700 foliões, de 50 a 94 anos. Só na bateria são mais de 50 músicos da
terceira idade. “Estamos no ritmo de muito ensaio para fazer bonito no dia. Não tenho a menor dúvida que será um grande desfile. Os componentes estão bem motivados para entrar na avenida”, declarou Fátima.

Já a mestra de bateria do Bloco da Vida, Clarete Patrocínio, destacou a importância do bloco para a autoestima dos componentes idosos. “Quero sempre o bem daqueles que nos ensinaram muito durante a vida.
Está tudo preparado e não tenho dúvidas que será um grande sucesso.
Isso mexe positivamente com a autoestima dos nossos membros, dando uma melhor qualidade de vida”, destacou a coordenadora.

Em relação ao título do samba enredo de 2018 do Bloco da Vida será ‘Pra não dizer que não falei das flores?’. A música, que vai tratar das flores e as
relações que a sociedade tem com elas, promete animar a avenida. A
importância das flores será retratada nos carros alegóricos que vão
contar com floristas e com um cover dos maiores comunicadores do
Brasil, Chacrinha, que usava e abusavas das flores. O samba enredo é
de autoria de João Felipe Bicalho.

Será o 20º desfile de Carnaval do Bloco da Vida. Irão participar do desfile deste ano 750 foliões com idade entre 50 e 94 anos. Haverá ainda uma equipe de 35 pessoas, além dos carros alegóricos e de apoio. Segundo informou a coordenadora do bloco, Fátima Martins, o trabalho de preparação sempre se inicia normalmente após o Carnaval, onde começa a idealizar o próximo desfile. Neste ano, o enredo será “Para não dizer que falei das flores” que abordará temas ligados a flores e relação das pessoas com elas.

Na avenida, serão 50 destaques e oito modelos de fantasias com
diversos tipos de flores: flores de lótus, rosas, flores de lis, fores
do campo, girassóis e cravos, além de quatro carros alegóricos. “O bloco tem toda uma história envolvendo a melhor idade de Volta Redonda. A alegria e a dedicação que todos trabalham para realizar esse desfile é realmente contagiante. Temos tudo para ter uma grande festa de encerramento do Carnaval”, prometeu o prefeito.

Município contou apenas com blocos nos bairros

O Carnaval 2018 não contou com os tradicionais desfiles de blocos e bailes de matinês e noturnos na Ilha São João. A Festa do Momo se resumiu nos blocos reconhecidos pelo Governo Municipal, que reuniram os foliões antes e durante o calendário oficial e ainda prometem levar muito mais para as comunidades. Nem mesmo o Bloco da Vida fez o tradicional desfile de abertura e fechamento da festa no município; o bloco desfila apenas no próximo dia 24.

Quem ficou em Volta Redonda no Carnaval, curtiu na sexta-feira, 9, o Bloco Império do Santa Cruz na Avenida dos Ex-combatentes, no ponto final do ônibus do Santa Cruz. A festa iniciou por volta das 14 horas e seguiu até à noite. Já a festa do Bloco Piranhas do Beco, no mesmo dia, aconteceu na Rua 41 G, no bairro Vila Santa Cecília. Ainda na sexta, teve ainda o Bloco Tacalipal, na Praça Maria Amélia, na Rua 238, no bairro Eucaliptal.
Já no sábado, 10, primeiro dia de Carnaval, o Vai que Cola reuniu moradores na Avenida Oswaldo Cruz, no bairro Vila Mury. Crianças, jovens e adultos se reuniram para curtir a folia que foi interrompida com um forte temporal acompanhado de uma forte ventania. No mesmo dia, no bairro Água Limpa, foi a vez do Piranhas do Gongo, que também foi parado pela chuva e vento.  No domingo, 11, teve Bloco Pé de Galinha, na Vila Rica, com saída da Avenida 5, com rota pela Avenida Santa Edwiges e retorno para Avenida 5. Crianças, jovens e adultos se divertiram bastante ao som das tradicionais marchinhas de carnaval e outras.

Na segunda-feira de folia, os foliões se reuniram na Rua Campos, no bairro Siderlândia, no Bloco Nós na Rua Com Sabor de Mel. A terça-feira, 13, ficou animada pelos foliões do Bloco Emoxonados, na quadra do Siderópolis, na Rua 60. O calendário oficial do Carnaval fechou, mas em Volta Redonda, os foliões ainda podem aproveitar. Para o dia 18 está programado o Bloco do Bendito no Campo Sintético do bairro Conforto, na Rua 235. No mesmo dia, das 13 horas às 22 horas, os foliões, do Bloco Galo Vermelho, se reunirão na Ilha São João. Antes desses, outros blocos agitaram muitos bairros, como o Bloco do Lençol, no Aterrado, e o Bloquinho Universitário, no Aterrado, como o Bloco ‘Tô no Brilho’ que arrastou centenas de foliões no pré-carnaval realizado no dia, 3, em frente a boate Auê House, na Rua Major Aguiar, no centro da cidade.

Muitas pessoas que não puderam passar o período de Carnaval fora, se queixaram da falta de opção de folia na cidade. É o caso da Rosana Leila dos Santos Oliveira, de 44 anos. Disse que, como o marido trabalhou nos quatro dias de folia, não teve como ir para cidade longe e que Volta Redonda não atendeu esse topo de folião. “Fomos a Rio Preto e Piraí um pouquinho e voltamos logo para casa, pois meu marido não teve folga e como tenho três crianças ainda dependo dele”, contou a mulher, ressaltando que o Carnaval de Volta Redonda deixou a desejar totalmente.

error: Conteúdo protegido !