Treino caseiro é alternativa para quem deseja manter a forma durante quarentena

0

BARRA MANSA

Com as academias fechadas e com a recomendação do governo do estado para que as pessoas permaneçam em suas residências, muitos estão buscando formas alternativas de manter a boa forma. De acordo com o ortopedista especializado em medicina esportiva, Reinaldo Cury, existem quatro coisas importantes que o ser humano deve fazer no dia a dia, que são: dormir bem, tomar banho, se alimentar e praticar atividades físicas. Segundo ele, existem várias academias que estão ajudando os alunos a praticarem as atividades em casa. Reinaldo, que é médico do Voltaço FC, explicou que manter essa prática, além de fazer bem para o corpo, também faz bem para a mente.

Reinaldo pontuou que cada pessoa tem sua preferência na hora de se exercitar. Há quem goste de academia ao ar livre, quem pedala, corre ou joga futebol, entre outros esportes. “Todos foram pegos desprevenidos e de repente tiveram que ficar em casa. O ideal, de quem já está acostumado a realizar os exercícios, é manter as atividades da forma que dá. Existem academias fazendo transmissão, outras que passam programas e criam grupos”, explicou, acrescentando que na internet também existem aulas de exercícios em casa.

O médico ortopedista ainda ressaltou que a pessoa deve manter o ritmo ao qual já está habituado. “Cada um tem um grau de intensidade ao qual está acostumado e ele deve manter esse nível. Isso não fará com que a imunidade caia. A não ser que você eleve o nível a uma forma extrema, fora do habitual”, observou.

Outra questão pontuada pelo médico é que, as pessoas que estão acostumadas a correr, podem manter a prática, mas isso deve ser feito em um local isolado, sem contato com outras pessoas e sem tocar em nada. “Quando chegar em casa, deixe o sapato do lado de fora e cole a roupa que utilizou separada das outras”, disse.

Personal trainers estão montando programas para os alunos – Foto Divulgação

PERSONAL TRAINERS AUXILIAM NOS TREINOS

Em Barra Mansa um grupo de personal trainer do Sesi vem auxiliando o público da academia na prática das atividades, montando programas específicos e vídeo aulas. A profissional de educação física, Giana Peixeira Barsotto contou que a iniciativa surgiu entre os personal trainers, que em seguida começaram a ter o apoiado da empresa. Com isso, os profissionais que atuam no Sesi Volta Redonda, junto com os de Barra Mansa, vêm montando treinos iniciantes, intermediários e avançados. “Nós também fazemos um vídeo todos os dias, realizamos os exercícios, para ensinar como fazer. Além do grupo dos personal traines, existe o grupo das pessoas que frequentam a academia e lá eles incentivam uns aos outros enviando fotos e vídeos dos treinos”, relatou.

O personal trainer da academia Top Fit

de Barra Mansa, Fabrício Estevam da Silva, também vem montando programas para os outros. Segundo ele, os alunos vêm solicitando ajuda para fazer os treinos em casa. “Eu estou montando o programa de cada um de forma que se enquadre com a realidade da pessoa. Tudo pode ser usado, como escada, banco, cadeira, sofá e o peso corporal”, disse, relatando que já montou aproximadamente 30 treinos nesse período de quarentena.

TREINANDO EM CASA

Patrícia Parma de Oliveira, de 23 anos, moradora do Centro, relatou que malha há oito anos e ao ter que ficar de quarentena, buscou uma maneira de continuar os treinos. De acordo com ela, com o auxílio de um personal, iniciou um programa no qual utilizou o peso corporal para se exercitar. “Pensei que não teria efeito nenhum porque eu estava acostumada a usar pesos com mais carga. Mas com a orientação de se fazer o exercício lento, contraindo a musculatura e em uma sequência diferente, deu para sentir o músculo reagindo”, explicou.

Ainda de acordo com Patrícia, que mora em apartamento, os treinos estão sendo terapêuticos. “Tenho dois irmãos, um de nove e um de sete. Quando eles ficam muito agitados, coloco-os para fazerem alguns exercícios leves com orientações do personal. Para nós já é difícil, imagina para as crianças que não tem com o que gastar as energias?”, questionou.

Já a moradora do bairro Roberto Silveira, Maria Célia da Silva Cunha, de 48 anos, explicou que manter as atividades físicas dentro de casa estão sendo essenciais para ela se sentir mais animada e disposta no dia a dia. “Coloquei uma vídeo aula para passar na televisão e complementei subindo e descendo as escadas de casa, intercalando com agachamentos. Agora o local onde faço Cross Fit, também montou um grupo e começará a dar aulas online”, finalizou.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !