Transporte público é alvo de queixas de usuários residentes na Rodovia do Contorno

0

VOLTA REDONDA
A Rodovia do Contorno, que levou 22 anos para ficar pronta e foi inaugurada em dezembro de 2017, vem sendo motivo de várias queixas. São pessoas que dependem da estrada para transitar diariamente ou aquelas que residem em bairros na localidade ou nas proximidades. Desta vez, a reclamação vem na maioria dos moradores dos condomínios Jardim Mariana e Jardim Rubi. A queixa é daqueles que dependem do transporte público.
Ao A VOZ DA CIDADE, os moradores declararam que os bairros localizados na Rodovia do Contorno não contam com uma linha especifica de ônibus. O que atende essa população apenas passa pela localidade. Por isso, a demora e, principalmente, a superlotação, como a falta de ônibus nos finais de semana e feriados. Esses são problemas constantes enfrentados pelos usuários.
FALTA UMA LINHA PARA ATENDER A LOCALIDADE
Segundo os moradores, com a falta de uma linha para atender especialmente aos dois condomínios, as pessoas que trabalham em outros bairros como Aterrado e Conforto são obrigadas a irem até um certo ponto de ônibus e depois seguirem a pé, já que o ônibus só vai até a Vila Santa Cecília e retorna. Disseram que, no sol e na chuva, o problema é o mesmo, o transporte público não atende os usuários como deveria. “Só temos uma viação que faz um horário que não atende a população. Por isso, andamos nos arriscando na Rodovia, onde não foi construída para moradores”, informou a recepcionista Jaqueline dos Santos, de 40 anos, moradora do Jardim Mariana, que trabalha no Aterrado, desce do ônibus na Avenida Amaral Peixoto e atravessa o viaduto a pé todos os dias. Disse que na hora da volta para a casa é mesma coisa. Sem contar, de acordo com ela, que o coletivo só passa na parte de cima da Rua Gustavo Lira, também no Centro da cidade.
Contou ainda a moradora que, o primeiro horário seria das 6 horas, mas quase sempre passa atrasado e superlotado, pois quem mora no bairro Três Poços e trabalha no Vila Rica/Tiradentes, Hospital Unimed e no Park Sul pega ele também e o último é às 23h15min, mas não é todos os dias que ele passa. “Aos sábados esse horário nunca é cumprido e aos domingos e feriados ele não existe. Nem sempre as pessoas têm dinheiro para chamar um táxi ou aplicativo. Na verdade, dependendo do horário, nem carro de aplicativo atende uma chamada, pois além da distância do centro da cidade, o local é considerado perigoso pelos motoristas durante a noite, fim de semana e feriados”, informou Jaqueline.
MAIS DE 600 MORADORES
Disse também Jaqueline que, somente no condomínio Jardim Mariana são mais de 600 moradores divididos em 8 blocos, com 62 apartamentos. Já no Mariana Rubi são 3 blocos, com 11 andares, sendo que a grande maioria dos dois condomínios depende de ônibus. “Até que os acidentes melhoraram após a instalação de quebra-molas em alguns pontos da rodovia, mas por causa da grande demanda de caminhões, alguns já estão precisando de reforma, mesmo assim, os acidentes até que reduziram um pouco”, declarou a moradora, lembrando que em relação ao transporte público já fizeram um abaixo assinado e enviou a Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana (SMTU), mas ainda não foram atendidos.
Outra reclamante, a auxiliar administrativa, Laryssa dos Santos, de 24 anos, disse que o ônibus atende precariamente o bairro. “Moradores de Pinheiral também pegam ele, sendo que possuem mais opções de linha, aos domingos e feriados não tem ônibus, ou você pega carona, carro de aplicativo ou vai a pé até uma localidade para esperar o ônibus”, reclamou.
TRANSPORTE PRECÁRIO
Lilian Ramos, de 32 anos, que trabalha como operadora de caixa disse que o transporte público na cidade e em especial no bairro que ela reside é precário. Contou que o ônibus já vem cheio de Três Poços e chegando no Mirante onde ele passa acaba enchendo mais. Sem contar a falta de comprometimento nos horários que na grande maioria vem atrasado, isso quando ele não passa.
Trabalhamos nos feriados e domingo também. Meu marido diversas vezes, mesmo sem poder, teve que pegar carro de aplicativo e pagar até 30 ou 40 reais. Já não sabemos mais o que fazer”, disse a moradora.
A auxiliar administrativa Rosilaine, de 44 anos, também moradora do Jardim Mariana, é outra que reclama do transporte púbico. “A demanda é muito alta em relação ao uso do transporte público. Aos sábados a demora dos ônibus é grande. Aos domingos e feriados não tem. Com isso, as pessoas perdem trabalho, consultas médicas e outros compromissos. Assim fica difícil. Pedimos ajuda e apoio para colocar mais ônibus na linha para melhorar a qualidade de vida dos moradores para que tenhamos uma qualidade de vida melhor”, apelou a moradora.
Prefeitura de Volta Redonda informa que tem feito intervenções e  mudanças em linhas do transporte público
A Prefeitura de Volta Redonda informou ao A VOZ DA CIDADE que, visando um melhor atendimento à população, tem feito intervenções e mudanças em linhas do transporte público. Destacou que muitas linhas de ônibus já apresentaram melhoras em relação a horários e frequência, por exemplo. Mesmo assim, a Administração Municipal segue trabalhando para melhorar diariamente as condições do transporte público para os usuários.
É importante ressaltar que a Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana (STMU) realiza fiscalizações regulares nas linhas de ônibus, além de monitorar os veículos com uso de GPS. São verificadas as condições dos ônibus e outros requisitos para o atendimento adequado
aos usuários.
Quando as equipes encontram alguma irregularidade, a secretaria orienta e, em alguns casos, emite notificação, multa e até efetua recolhimento do ônibus. Denúncias de superlotação e outros problemas nos coletivos podem ser feitas através do telefone 156
Central de Atendimento Único (CAU).
PARCERIA ENTRE STMU
Por meio de uma parceria entre a STMU, as empresas operadoras de
ônibus da cidade e o Sindicato das Empresas de Transporte (Sindpass),
em breve serão oferecidas outras facilidades para os usuários do
Sistema de Transporte Público de Passageiros de Volta Redonda (STTP).
Os passageiros poderão acompanhar horários dos ônibus e fazer
sugestões, elogios e reclamações através de um canal de atendimento
via WhatsApp (24 99295-8558). O objetivo é atender as demandas de quem utiliza o transporte público, com respostas em até 72 horas.
A secretaria também quer aumentar o número de pessoas que utilizam o
aplicativo Cittamobi, ferramenta que acompanha os horários dos ônibus
municipais em tempo real. Pelo aplicativo, o usuário encontra a exata
localização dos veículos e consegue uma estimativa da hora que o
ônibus chegará na parada. Assim, com mais agilidade, a pessoa saberá
em que horário o ônibus vai passar ou se o ônibus já está no trajeto.